Casa do Sol

Casa do Sol é o nome dado pela poeta Hilda Hilst à residência onde viveu de 1966 até 2004. A residência localizada no condomínio Parque Xangrilá, é atualmente sede do Instituto Hilda Hilst. A Casa conta com um acervo de toda produção cultural da autora e tem Luiza Novaes à frente de sua diretoria. A ideia de criação da Casa, inclusive, com sua abertura para visitação e hospedagem,veio do escritor Mora Fuentes, ex-namorado de Hilda, que lá residiu, mesmo quando eles já não estavam mais juntos. Em outubro de 2011, a residência foi tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Artístico e Cultural de Campinas (Condepac). O espaço está localizado na em terras da antiga Fazenda São José, que era da mãe da poeta e teve frequentadores ilustres nas décadas de 1970 e 1980, a exemplo do Maestro Jose Antônio de Almeida Prado e escritores como Lygia Fagundes Telles e Caio Fernando Abreu.[1][2]

Instituto Hilda HilstEditar

A Casa do Sol abriga o Instituto Hilda Hilst, cuja missão oficial é disseminar a obra e a memória de Hilda Hilst. No espaço, fundado em 2005, é mantido um acervo da produção cultural de Hilst. O instituto foi criado por José Luís Mora Fuentes, amigo da poeta.[1][2]

Referências

  1. a b «Casa de Hilda Hilst é aberta para visitas». VEJA SÃO PAULO 
  2. a b «Instituto Hilda Hilst | Obscena Lucidez». www.hildahilst.com.br. Consultado em 8 de março de 2018 
  Este artigo sobre patrimônio histórico no Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.