Abrir menu principal
IgrejaCatólicaEmblem of the Papacy SE.svg
Flag of Finland.png
Finlândia
Catedral de Santo Henrique, em Helsinque
Ano 2012
Santo padroeiro Santo Henrique
Católicos 11.874
População 5.400.000
Núncio apostólico Henryk Józef Nowacki
Códice FI

A Igreja Católica na Finlândia faz parte da Igreja Católica sob a liderança espiritual do Papa e da Cúria em Roma.

A Finlândia tem a menor proporção de católicos de toda a Europa, cerca de 9.000. A esmagadora maioria são estrangeiros, particularmente poloneses. Cerca de metade dos padres são poloneses. Desde 2007 há apenas dois sacerdotes nascidos na Finlândia, e apenas um deles trabalha na Finlândia. O Bispo de Helsinque é o Mons. Teemu Sippo, nomeado em 16 de junho de 2009. Ele é o primeiro finlandês no cargo de bispo católico em mais de 500 anos.

Devido ao pequeno número de católicos na Finlândia , o país inteiro forma uma única diocese, a Diocese de Helsinque.

Índice

HistóriaEditar

 
A paróquia Sagrada Família de Nazaré em Oulu, construída por membros do Caminho Neocatecumenal em fevereiro de 2006

O catolicismo foi uma das primeiras formas de cristandade que entraram na Finlândia. Os achados mais antigos datam dos séculos XI e XII. No século XVI, a Finlândia, como parte da Suécia, participou da Reforma Protestante, que fez com que o catolicismo perdesse quase todas as suas terras e fiéis no país

O primeiro serviço religioso católico, após a morte de João III da Suécia foi realizado em 1796 pelo vigário apostólico de Estocolmo, o padre de origem italiana, Paolo Moretti.

A paróquia de Vyborg foi criada em 1799, na parte russa da Velha Finlândia. Depois o resto da Finlândia tornou-se parte do Império Russo em 1812, e a paróquia passou a abranger todo o Grão-Ducado da Finlândia. Havia cerca de 3.000 católicos em 1830. Todos os sacerdotes, até os anos 1860 eram lituanos da ordem dos dominicanos. A paróquia de Helsinque foi fundada em 1856, possivelmente devido a influência da esposa do governador-geral Frederico Guilherme von Berg, Leopoldina Cicogna Mozzoni. A Catedral de Santo Henrique, em Helsinque, foi concluída em 1860.

Em 1882, todos os padres e freiras alemãs foram expulsos. Todos os padres estrangeiros foram expulsos novamente em 1912. Após a independência da Finlândia e da partida das forças militares russas, que tinha incluído muitos poloneses e lituanos, a Igreja Católica perdeu a maioria de seus membros.

Em 1920, um Vicariato Apostólico foi criado na Finlândia. A paróquia de Turku foi criada em 1926, e, em 1927, a Paróquia de Terijoki. O Governo concedeu à Igreja Católica na Finlândia o status de comunidade religiosa em 1929. A Finlândia estabeleceu relações diplomáticas com a Santa Sé em 1942, e Pio XII doou uma quantia significativa de dinheiro para órfãos da guerra finlandesa contra a Rússia. Depois da guerra, as paróquias de Vyborg e Terijoki, que se localizavam em territórios cedidos à Rússia, foram transferidos para Lahti, e uma nova paróquia foi fundada em 1949, em Jyväskylä.

A Igreja da Assunção de Maria foi concluída em Helsinque, em 1954. No ano seguinte, o vicariato apostólico foi elevado a diocese. A paróquia de Tampere foi criada em 1957, a paróquia de Kouvola em 1985, e a paróquia de Oulu em 1992.

Movimentos da Igreja Católica e grupos também são ativos na Finlândia. Um deles, o Caminho Neocatecumenal estabeleceu dois seminários Redentoris Mater e mantém uma presença tanto em Helsinque e em outras cidades, principalmente Oulu.

Católicos finlandeses étnicos, como acontece com os católicos dos outros países nórdicos – historicamente protestantes – tendem a seguir linhas conservadoras ou tradicionalistas. Talvez o católico mais conhecido neste momento é o chefe do nacionalista Partido dos Verdadeiros Finlandeses, Timo Soini.

IgrejasEditar

Há sete paróquias católicas na Finlândia :

Ordens ReligiosasEditar

A Ordem dos Brigitinos está ativa na Finlândia, com conventos em Turku e Koisjärvi, perto de Lohja. Um convento carmelita, o Mosteiro de Nossa Senhora do Monte Carmelo foi criado em Espoo em 1988.

As relíquias de HenriqueEditar

A posse de relíquias do Bispo Henrique causou alguma controvérsia entre o Conselho Nacional de Antiguidades, a Igreja Católica finlandesa, e a Igreja Evangélica Luterana da Finlândia. Em 1998, o padre da Paróquia de Santo Henrique, em Helsinque desejava transferir as relíquias para a Catedral de São Henrique, embora tivesse sido previamente exposta na Catedral luterana de Turku. O Conselho Nacional de Antiguidades, eventualmente, optou por colocar as relíquias na catedral católica.

Referências

Ligações externasEditar