Abrir menu principal

Wikipédia β

Celestino Alves (pintor)

Celestino de Sousa Alves (Setúbal, 1913 — 1974) foi um pintor português. Pertence à segunda geração de pintores modernistas portugueses.

Celestino Alves
Nascimento 1913
Morte 1974 (61 anos)
Nacionalidade portuguesa
Área Pintura
Paisagem, 1958, óleo sobre tela, 46,3 x 38,7 cm
Sem título, 1972, óleo sobre platex, 45,5 x 38 cm

BiografiaEditar

Formou-se em pintura na Escola de Belas-Artes de Lisboa. Foi professor do Ensino Técnico Profissional.[1]

Expôs individualmente em Lisboa (Galeria UP, 1936; S.N.I., 1945, etc.), Setúbal, Faro. Entre as exposições coletivas em que participou podem destacar-se: Exposições de Arte Moderna do S.P.N./S.N.I. (doze vezes participante); I Bienal de São Paulo, São Paulo (1951); Exposição Hispano-Portuguesa de Sevilha (1952); I e II Exposições de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian (1957, 1961); etc.[1][2][3]

Recebeu o Prémio Silva Porto (SNBA; 1944) e o Prémio Amadeo de Souza-Cardoso (S.N.I.; 1947).[4]

O seu "sóbrio paisagismo" inicial, de um "modernismo sem alardes que se lembra de um Cézanne mas também de um Boudin, e que recusa permanentemente qualquer compromisso oitocentista", Celestino Alves dá prioridade à afirmação dos valores plásticos da pintura[5]. Na década de 1960 distancia-se das formas de representação das paisagens iniciais e opta pela abstração, "explorando a matéria pictórica, valorizando, embora timidamente, o plano da tela, apresentando cores, baças e pouco contrastantes, em grandes massas homogéneas, e simplificando os relevos. Os seus quadros são cuidadosamente executados, com uma conscienciosa economia de processos"[4].

Está representado em coleções públicas e privadas, nomeadamente: Museu do Chiado, Lisboa; Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa; Museu José Malhoa, Caldas da Rainha; Museu do Abade de Baçal, Bragança; etc.[2]

Referências

  1. a b A.A.V.V. – I Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1957.
  2. a b A.A.V.V. – II Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1961.
  3. França, José Augusto – A arte em Portugal no século XX. Lisboa: Livraria Bertrand, 1991, p. 312, 313.
  4. a b Gonçalves, Rui Mário – "Celestino Alves". In: A.A.V.V. – Grupo Totta: os edifícios, a coleção, os artistas.Lisboa: Grupo Totta, 2002, p.71. ISBN 972-98068-3-7
  5. Porfírio, José LuísArte Portuguesa do Património da Petrogal. Lisboa: Direção de Relações Externas da Petrogal, sem data, p. 20.
  Este artigo sobre um(a) pintor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.