Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Altri
Logo Altri.gif
Razão social Altri, SGPS, S.A.
Empresa de capital aberto
Cotação Euronext Lisboa: ALTR
Atividade Papel
Energia
Género Sociedade anónima
Fundação 1 de março de 2005
Sede Porto, Flag of Portugal.svg Portugal
Pessoas-chave Paulo Jorge dos Santos Fernandes (Chairman e CEO)
Empregados 690
Produtos Papel, Biomassa, Cogeração, Branqueamento da polpa de madeira
Lucro Aumento EUR 55,34 milhões (2013)
Faturamento Aumento EUR 572,57 milhões (2013)[1]
Website oficial www.altri.pt

Altri, SGPS, S.A. é um conglomerado português de referência mundial na produção de pasta de eucalipto e na gestão florestal. A Altri está cotada na bolsa de valores de Lisboa, onde integra o seu principal índice, o PSI-20.

A Altri foi criada em 1 de março de 2005 como resultado do processo de reestruturação da Cofina, através de um spin out dos activos industriais da Cofina.[2]

A Altri é um produtor europeu de referência de pasta de eucalipto. Para além da produção de pasta, o Grupo está também presente no sector de energias renováveis de base florestal, nomeadamente a cogeração industrial através de licor negro e a biomassa. A estratégia florestal assenta no aproveitamento integral de todos os componentes disponibilizados pela floresta: pasta, licor negro e resíduos florestais.

Actualmente, a Altri gere cerca de 80 mil hectares de floresta em Portugal, integralmente certificada pelo Forest Stewardship Council® (FSC®) e pelo Programme for the Endorsement of Forest Certification (PEFC), dois dos mais reconhecidos mecanismos de certificação florestal a nível mundial.

Actualmente, a Altri detém 3 fábricas de pasta em Portugal, com uma capacidade instalada que em 2018 superou 1 milhão de toneladas/ano de pastas de eucalipto.

O Grupo Altri, através das suas subsidiárias Celbi e Celtejo, celebrou com o Estado Português, representado pela AICEP, no início de 2017, dois contratos de investimento considerados de interesse estratégico para o país pela inovação introduzida, pela criação e qualificação de postos de trabalho e ainda pelo desenvolvimento das regiões de implantação das unidades industriais, tendo sido concedidos incentivos financeiros e fiscais aos projectos em questão.

O montante do investimento contratado na Celbi foi de 40 milhões de euros e tem por finalidade melhorias ao nível do processo produtivo, nomeadamente no descasque e destroçamento de madeira e na lavagem e branqueamento de pasta.

Na Celtejo o montante do investimento contratado foi de 85 milhões de Euros e tem como objetivo a inovação e a sustentabilidade económica e ambiental da unidade fabril com intervenções ao nível da caldeira de recuperação, instalação de redução de vapor e estação de tratamento de águas residuais industriais.

A Altri é um dos maiores exportadores portugueses, ao colocar nos mercados externos cerca de 90% do total da sua produção. O principal destino das vendas da Altri é a Europa, que excluindo Portugal representa cerca de 70% das vendas. O segundo mercado mais relevante é a China, sendo o destino de 9% do total das vendas.

Em termos de utilização da pasta os produtores de papel tissue são os principais clientes da Altri com uma quota de 48%, seguindo-se os produtores de especialidades e os produtores de papel gráfico de impressão e escrita, com quotas de mercado de 22% e 21%, respetivamente. Os produtores de filamentos de viscose – consumidores de pasta DWP – representam cerca de 9% das vendas.

Ligações externasEditar

Referências