Abrir menu principal
Cemitério de San Justo
SSJ- Esculturas funerarias (23220677813).jpg
País
Endereço
70 Paseo de la Ermita del Santo (d)Visualizar e editar dados no Wikidata
Madrid
Flag of Spain.svg Espanha
Coordenadas
Sepulturas de Mariano José de Larra e Ramón Gómez de la Serna no cemitério de San Justo.

O Cemitério de San Justo (em castelhano: cementerio de San Justo ), com o nome completo cementerio de la Sacramental de San Justo, San Millán y Santa Cruz, em Madrid, Espanha, é um cemitério ainda utilizado na atualidade, separado por um muro de taipa do Cemitério de San Isidro. Esta localizado no distrito de Carabanchel.

Foi inaugurado em 1847.[1]

Em 1902 a Asociación de Escritores y Artistas construiu o panteon para resguardar e agrupar as cinzas dos personagens mais ilustres das letras e artes. O panteon foi projetado por Enrique María Repullés. Os primeiros a ocupar o panteon foram José de Espronceda, Mariano José de Larra e Eduardo Rosales. Posteriormente foram inumados neste local os restos mortais de Leandro Fernández de Moratín, Ramón Gómez de la Serna, Maruchi Fresno, Carmen Conde, Luis Escobar Kirkpatrick e Rafaela Aparicio, e mais recentemente Sara Montiel, entre outros.

Sepultamentos por pátiosEditar

Referências