Centre national du cinéma et de l'image animée

estabelecimento público francês encarregado de proteger e apoiar o cinema e o audiovisual em França
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja CNC.

O Centre national du cinéma et de l’image animée (CNC) (em português: Centro Nacional do Cinema e da Imagem Animada),[1] conhecido anteriormente como Centre national de la cinématographie (Centro Nacional da Cinematografia), é um estabelecimento público de caráter administrativo francês, e de personalidade jurídica e autonomia financeira, que foi criado pela lei n.º 46-2360 de 25 de outubro de 1946. É gerenciado sob a autoridade do Ministério da Cultura de França.

Centre national du cinéma et de l'image animée
(CNC)
Paris department land cover location map.jpg

Mapa da rua Lübeck, onde localiza-se a instituição.
Tipo Estabelecimento público de caráter administrativo
Fundação 25 de outubro de 1946 (76 anos)
Sede 12 Rue de Lübeck - 75116 Paris,  França
48° 51' 57.99" N 2° 17' 35.73" E
Línguas oficiais Francês
Presidente Frédérique Bredin
Organização Instituição pública
Sítio oficial cnc.fr (em francês)

Frédérique Bredin assumiu a presidência em 15 de julho de 2013.[2]

HistóriaEditar

A necessidade de criar uma organização profissional para reunir os profissionais do cinema e definir o alcance das suas atividades, apareceu pela primeira vez em 1936. Numa análise da indústria cinematográfica que foi publicada pelo Conselho Económico Nacional, o inspector das Finanças, Guy de Carmoy forneceu «uma organização corporativa única, obrigatória e dotada de poder soberano».[3] Foi durante a França de Vichy que acompanhou-se o relatório através da criação de duas organizações, em tempos de guerra: o Comité Organizador da Indústria Cinematográfica (Comité d'organisation de l'industrie cinématographique, COIC) e a Direção-Geral do Cinema (Direction générale de la cinématographie). Durante a Libertação de França, o COIC foi substituído pelo Instituto Profissional do Cinema (Office professionnel du cinéma, OPC). Finalmente, o Centre national de la cinématographie foi criado em 25 de outubro de 1946, numa concertação entre o governo e a indústria cinematográfica.[4] A sua criação é o resultado do acordo Blum–Byrnes, que exigia a revogação das regras de interdição da projeção de filmes estado-unidenses. Em 24 de setembro de 1948, o Jornal Oficial da República Francesa publicou a primeira lei de assistência do CNC aos produtores e aos responsáveis pelo cinema de França, graças à um fundo de assistência da taxa especial adicional.[5]

Em 1953, um novo decreto estabeleceu um « prémio de qualidade » para uma curta-metragem, e em 1959 foram dados os « recibos de adiantamento » pela longa-metragem, para ajudar os filmes « propensos a servirem a causa do cinema francês ou para abrir novas oportunidades para a arte cinematográfica ».[6]

A princípio, sob a supervisão do Ministério da Informação de França, o CNC dependeu em seguida do Ministério da Indústria, numa posição ambígua (é uma ferramenta administrativa do Estado, para manter a sua autonomia). A dimensão cultural associou-se à política do cinema fornecida por André Malraux, onde em 3 de fevereiro de 1959, ligou o CNC ao novíssimo Ministério da Cultura.[7]

A lei n.º 2009-901 de 24 de julho de 2009, nascida sob a lei de 5 de março de 2009, sobre a comunicação audiovisual e do novo serviço público de televisão, deu um novo nome ao estabelecimento (mantendo sua sigla) e alterou as regras de funcionamento. Agora, o CNC é administrado por um conselho de administração de doze membros, incluindo os representantes do Estado, de magistrados administrativos e judiciais e os representantes dos trabalhadores.[8] É gerenciado por um presidente no lugar dum diretor-geral. Essa ordem suprimiu o requisito de que os atores na criação de um filme, teriam que possuir uma licença profissional emitida pelo CNC.

Em dezembro de 2014, o CNC escolheu supervisionar a remuneração dos atores e atrizes de França. Para além duma tampa fixa em relação ao orçamento, os filmes já não se beneficiam do apoio prestado pela organização.[9]

Em janeiro de 2015, o CNC em parceria com o Ministério da Cultura lançou um motor de pesquisa, permitindo o acesso de todas as ofertas legais existentes para o descarregamento ou a visualização em linha de filmes.[10] A base também é acessível em sítios eletrónicos como AlloCiné, Télérama, Première e SensCritique.[11]

DirigentesEditar

Referências

  1. «Centro Nacional do Cinema e da Imagem Animada». Cinefrance.com.br. Consultado em 28 de dezembro de 2015 
  2. «Proposition de nomination de Frédérique Bredin à la présidence du Centre national du cinéma et de l'image animée (CNC)» (em francês). Ministério da Cultura. 26 de junho de 2013 
  3. Vernier, Jean-Marc (2004). Cinéma français et État : Un modèle en question. «L'État français à la recherche d'une "politique culturelle" du cinéma : de son invention à sa dissolution gestionnaire». Maison des sciences de l'homme. Quaderni (em francês). 54. Cópia arquivada em 8 de dezembro de 2008 
  4. «Missions» (em francês). Centre national du cinéma et de l'image animée. Consultado em 28 de dezembro de 2015 
  5. Jeancolas, Jean-Pierre (2011). Histoire du cinéma français (em francês). [S.l.]: Armand Colin. p. 46 
  6. Clouzot, Claire (1972). Le cinéma français depuis la nouvelle vague (em francês). [S.l.]: Fernand Nathan. p. 12 
  7. Jean Marie Pontier, Jean Claude Ricci e Jacques Bourdon (1990). Droit de la culture (em francês). [S.l.]: Dalloz. p. 116 
  8. «Conseil d'administration - Réunion du 30 novembre 2010» (PDF) (em francês). Centre national du cinéma et de l'image animée. 30 de novembro de 2010 
  9. «Les salaires des stars du cinéma français vont être encadrés» (em francês). Challenges. 3 de dezembro de 2014 
  10. Karayan, Raphaële (28 de janeiro de 2015). «Enfin un moteur de recherche pour trouver un film en VOD» (em francês). L'Express 
  11. «VOD : le CNC lance un moteur de recherche pour s'y retrouver» (em francês). Terrafemina. 29 de janeiro de 2015 
  12. Thaisy, Laurence (2006). La politique cinématographique de la France en Allemagne occupée, 1945-1949 (em francês). [S.l.]: Presses universitaires du Septentrion. p. 36. 275 páginas. ISBN 9782859399030 
  13. a b Hubert-Lacombe, Patricia (1996). Le cinéma français dans la guerre froide: 1946-1956 (em francês). [S.l.]: Éditions L'Harmattan. 203 páginas. ISBN 9782738440426 
  14. Denis, Sébastien (2006). La diffusion des documentaires sur l'Algérie coloniale en France métropolitaine (1945-1962) (PDF) (em francês). [S.l.]: Questions de communication 
  15. Depétris, Frédéric (2008). L'état et le cinéma en France: le moment de l'exception culturelle (em francês). [S.l.]: Éditions L'Harmattan. 297 páginas. ISBN 9782296056114 
  16. «Un défroqué: André Astoux, ex-directeur du cinéma français, en était le « prêtre-ouvrier »...» (PDF). Le Nouvel Observateur (em francês). 8 de abril de 1974 
  17. «Comité d'histoire du ministère de la Culture» (em francês). Ministério da Cultura. Consultado em 28 de dezembro de 2015 
  18. «Jérôme Clément, Président du comité de gérance Arte» (em francês). BusinessPME. 10 de outubro de 2006 
  19. Bouzet, Ange-Dominique (28 de setembro de 1995). «Marc Tessier prend la tête du CNC. Il succède à Dominique Wallon au Centre national du cinéma.» (em francês). Libération 
  20. «Citation directe devant le Tribunal de grande Instance de Paris statuant en matiere correctionnelle» (em francês). La lettre de Nodula. Consultado em 28 de dezembro de 2015 
  21. Bouzet, Ange-Dominique (2 de julho de 1999). «Jean-Pierre Hoss nommé au CNCUn fidèle du service public au chevet du cinéma.» (em francês). Libération 
  22. «Historique du CNC» (em francês). Centre national du cinéma et de l'image animée. Consultado em 28 de dezembro de 2015 
  23. «David Kessler, directeur général du CNC.» (em francês). Stratégies. 26 de março de 2001 
  24. «Nomination de Jean-Pierre Hoss au Centre National de la Cinématographie» (em francês). Ministério da Cultura. 1 de julho de 1999 
  25. «Kessler à France Télévisions» (em francês). La Libre Belgique. 4 de setembro de 2004 
  26. «Catherine Colonna, directrice du CNC.» (em francês). Stratégies. 8 de setembro de 2004 
  27. Gonzales, Paule (15 de dezembro de 2010). «Éric Garandeau au CNC» (em francês). Le Figaro 
  28. «Mesures d'ordre individuel» (em francês). Portal do Governo da República Francesa. 26 de junho de 2013 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Centre national du cinéma et de l'image animée