Centro Cultural Vila Flor

O Centro Cultural Vila Flor é um equipamento cultural localizado na Avenida D. Afonso Henriques, em Guimarães. É o principal equipamento cultural de Guimarães. Concluído em Setembro de 2005, nasceu da recuperação do Palácio Vila Flor e espaços envolventes, uma obra do Gabinete Pitágoras.

Centro Cultural Vila Flor
Centro Cultural Vila Flor
Localização Av. D. Afonso Henriques, Guimarães
Inauguração setembro de 2005 (16 anos)
Website www.ccvf.pt

História do Palácio Vila FlorEditar

 
Entrada principal do Palácio Vila Flor

O Palácio Vila Flor, mandado construir por Tadeu Luís António Lopes de Carvalho de Fonseca e Camões no século XVIII. Mais tarde passa para a posse da família Jordão, que completou a obra iniciada por Tadeu Luís. É um edifício marcante no desenrolar da história vimaranense. Em 1853 recebeu a Rainha D. Maria II que, por decreto de 23 de Junho desse mesmo ano, elevou a então vila de Guimarães a cidade.[1] Em 1884, foi o espaço para a realização da I Exposição Industrial e Comercial de Guimarães.[2] Adquirido pelo município de Guimarães em 1976, serviu como local para albergar o Pólo de Guimarães da Universidade do Minho, academia de música, oficina de teatro e local para aulas de formação profissional.

Os Jardins de buxo do Palácio Vila Flor, com uma vista privilegiada sobre a cidade de Guimarães e os seus monumentos, como o Paço dos Duques de Bragança e o Castelo de Guimarães, foram o local de realização de importantes eventos, como os festejos comemorativos da aclamação do rei D. José I, em 1750.[2] Após a compra do Palácio pela Câmara Municipal de Guimarães, parte dos jardins serviram como horto municipal.

O Centro CulturalEditar

 
Jardins do Centro Cultural Vila Flor

O Centro Cultural Vila Flor é fruto do restauro do Palácio Vila Flor e seus Jardins, e da construção de um novo edifício para a sala de espectáculos. O restauro promovido pela Câmara Municipal de Guimarães foi concedido por concurso público ao Gabinete Pitágoras arquitectos.[3] O novo edifício para o teatro, de grandes dimensões, conjuga-se com o oitocentista Palácio de estilo Barroco e os seus Jardins. Inaugurado no dia 17 de Setembro de 2005 com o concerto dos Madredeus,[4] o Centro Cultural Vila Flor tem um grande auditório com capacidade para cerca de 800 lugares e um pequeno auditório com 200 lugares. O novo edifício alberga ainda um restaurante, o Café Concerto e os serviços administrativos. O restaurado Palácio, com uma área expositiva de cerca de 1000 metros quadrados, alberga também a sede da Assembleia Municipal.[5] Os recuperados Jardins do Centro Cultural Vila Flor receberam, em 2006, a Menção Honrosa na categoria Espaços Exteriores de Uso Público do Prémio Nacional de Arquitectura Paisagista.[6]

Referências

  1. «Cidades Portuguesas (2002)». INE. Consultado em 3 de Outubro de 2006 
  2. a b «A beleza intemporal do Palácio de Vila Flor». Jornal de Notícias, texto de Joaquim Forte. Consultado em 30 de Junho de 2007 
  3. «[Projecto] Centro Cultural Vila Flor, Guimarães - Pitágoras Arquitectos». Fórum do sítio Arquitectura.pt. Consultado em 30 de Junho de 2007 
  4. «Portal A Oficina». "Um Amor Infinito - Madredeus". Consultado em 30 de Junho de 2007 
  5. «Município de Guimarães». Centro Cultural Vila Flor. Consultado em 30 de Junho de 2007 
  6. «CCVF recebe Menção Honrosa». Sítio da A Oficina, cooperativa que gere o Centro Cultural Vila Flor. Consultado em 30 de Junho de 2007 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Centro Cultural Vila Flor