Abrir menu principal

Centro de Energia Nuclear na Agricultura da Universidade de São Paulo

O Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA) foi fundado em 1966, com o objetivo de se realizar "pesquisa avançada de energia nuclear na agricultura" [1]. Localizado em Piracicaba, interior de São Paulo, é uma unidade especializada da Universidade de São Paulo, funcionando junto à Escola Superior de Agricultura "Luís de Queiróz - ESALQ/USP.

Além de ser considerado um centro acadêmico de excelência internacional, o CENA trabalha junto à comunidade fornecendo serviços importantes, como a realização de análises de alimentos para exportação, desenvolvimento de novas variedades de alimentos e irradiação de alimentos com fins de conservação.

Índice

Características do CENAEditar

O CENA possui atualmente mais de 60 mil metros quadrados [2], com prédios construídos entre árvores num estilo paisagístico agradável. Conta com mais de 18 laboratórios altamente equipados e uma equipe de mais de 300 pessoas, que visam atender o lema da instituição "Melhorar a qualidade de vida, gerando e difundindo conhecimentos relacionados à agropecuária e ao ambiente" [3].

Atualmente o CENA possui convênios com mais de 24 centros de pesquisa internacionais, além de 11 brasileiros. Entre estes convênios, encontram-se o "Projeto BIOTA"[4], da FAPESP, que estuda diversos ecossistemas para compreender seu funcionamento e também meios de se praticar a conservação ambiental, sem ignorar a possibilidade de sua exploração econômica.

Histórico do CENAEditar

No início da década de 50, o interesse na área de estudos da energia nuclear fez com um grupo de pessoas ligadas a ESALQ começasse a cogitar a idéia da aplicação desta energia no campo da agricultura. Durante os anos de 1953 à 1958, pequenos estudos começaram a ser colocados em prática na universidade, principalmente pelos Profs. Eurípedes Malavolta, Admar Cervellini e Otto Jesu Crocomo, além de outros interessados na área.

Graças a estes estudos pioneiros e a aquisição de equipamentos importantes para estudos nucleares, como um contador Geiger-Müller e um espectrômetro de massas, trazido por seu inventor C.C. Delwiche, aliados a publicação de mais de vinte trabalhos realizados com o auxílio da energia nuclear, começou-se a se pensar em concentrar os estudos em um único local. Desta forma, seria possível a utilização racional dos equipamentos, além de uma maior integração entre os cientistas. Decidiu-se então a proposta da criação do CNENA (Centro Nacional de Energia Nuclear na Agricultura). Em 1o de Agosto de 1962 oficializou-se a instituição junto ao CNEN.

Nos seus dois anos de funcionamento, a instituição fez diversas pesquisas, além de instalar equipamentos, realizar cursos internacionais e estabelecer contato com diversos cientistas do Brasil. Em 1964, o CNENA teve suas atividades encerradas, devida a suspensão pelo governo de todas os convênios vigentes para a reestruturação da política nuclear brasileira. Durante algum tempo, a equipe de Cervellini continuou seus trabalhos para a formalização e reestruturação da instituição, sendo então oficializado, em 22 de Setembro de 1966, o Centro de Energia Nuclear na Agricultura da Universidade de São Paulo.

Laboratórios do CENAEditar

Três órgãos compõe as Divisões Científicas do CENA, sendo cada órgão responsável por um número de laboratórios:

Desenvolvimento de Métodos e Técnicas Analíticas e Nucleares - DVTEC

  • Carbono 14
  • Instrumentação Nuclear
  • Isótopos Estáveis
  • Química Analítica
  • Radioisótopos

Funcionamento de Ecossistemas Tropicais - DVECO

  • Biogeoquímica Ambiental
  • Ecologia Isotópica
  • Ecotoxicologia
  • Física do Solo
  • Geoprocessamento e Tratamento de Imagens
  • Ecologia Aplicada

Produtividade Agroindustrial e Alimentos - DVPROD

  • Biologia Celular e Molecular
  • Biotecnologia Vegetal
  • Fertilidade do Solo
  • Histopatologia Biologia Estrutural de Plantas
  • Irradiação de Alimentos e Radioentomologia
  • Melhoramento de Plantas
  • Nutrição Animal
  • Nutrição Mineral de Plantas

Pós-GraduaçãoEditar

Além de atuar com pesquisas desenvolvidas pelos Docentes da instituição, o CENA também atua na área de Pós-Graduação, com parte de suas pesquisas sendo desenvolvidas por alunos de Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado [5]. Atualmente mais de 33 alunos participam do Mestrado, e mais de 80 fazem doutorado.

Na última avaliação trienal (2004-2006) realizada pela CAPES, o Programa de Pós-Graduação do CENA recebeu conceito 7, o valor máximo dado nesta avaliação. [6]

Ligações externasEditar