Centrophorus squamosus

Centrophorus squamosus é um tubarão esqualiforme de profundidade pertencente à família Centrophoridae. A espécie é conhecida pelos nomes comuns de lixa ou xara.

Como ler uma infocaixa de taxonomiaCentrophorus squamosus
Centrophorus squamosus (ilustração por R. Mintern).
Centrophorus squamosus (ilustração por R. Mintern).
Estado de conservação
Espécie vulnerável
Vulnerável
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Chondrichthyes
Subclasse: Elasmobranchii
Ordem: Squaliformes
Família: Centrophoridae
Género: Centrophorus
Espécie: C. squamosus
Nome binomial
Centrophorus squamosus
(Bonnaterre, 1788)
Distribuição geográfica
Distribuição natural (em azul)
Distribuição natural (em azul)
Cabeça de C. squamosus

DescriçãoEditar

Os tubarões da espécie Centrophorus squamosus são caracterizados por não apresentarem barbatana anal e por possuírem duas barbatanas dorsais precedidas de um espinho desenvolvido, sendo a primeira delas relativamente baixa e longa, e por terem grandes olhos e o corpo recoberto por dentículos ásperos (escamas placoides). O comprimento máximo registado é de 158 cm. As barbatanas peitorais são angulosas, mas não muito desenvolvidas.[1][2]

C. squamosus possui um focinho moderadamente desenvolvido e arredondado. Os dentes são unicúspides mas nitidamente diferentes no maxilar superior e inferior, sendo os primeiros em maior número, de menor dimensão e ligeiramente espaçados.[3]

Apresenta uma coloração cinzento-escura ou preta, uniforme, sendo recoberta por placas dérmicas, em forma de folha, que formam escamas placóides, imbricadas, com formato subovóide, multicúspides e serrilhadas lateralmente.[2] Estas conferem elevada aspereza à pele, daí merecerem o nome comum de lixa.

Distribuição e habitatEditar

Ocorre no nordeste do Atlântico, nos taludes continentais, desde a Islândia até ao Cabo da Boa Esperança, no oeste do Oceano Índico nas proximidades das ilhas Aldabra e no Pacífico Ocidental na região de Honshū, Japão, Filipinas, sueste da Austrália e Nova Zelândia.[4]

A espécie vive junto do fundo, entre 230 e 2 360 metros de profundidade, sendo mais comum abaixo dos 1 000 metros de profundidade. A dieta da espécie consiste sobretudo em cefalópodes dos géneros Chiroteuthisi, Vampyroteuthis e Galiteuis e peixes ósseos como Aphanopus carbo. Não são conhecidos predadores naturais da espécie.

A espécie é ovovivípara, com um máximo de 5 crias por parição.

No arquipélago da Madeira a espécie é capturado como espécie acessória da pescaria de palangre dirigida a Aphanopus carbo Lowe, 1839. Existem várias pescarias no Nordeste Atlântico que consideram a espécie como alvo, juntamente com outro esqualídeo, Centroscymnus coelolepis.[5]

Ver tambémEditar

Notas

  1. Whitehead, P. J. P., Bauchot, M. L., Hurreau, J. C., Nielson, J. & Tortonese, E. (1989). Fishes of Northeastern Atlantic and Mediterranean. UNESCO: Paris.
  2. a b Leafscale gulper shark (Centrophorus squamosus) no Marine Species Identification Portal.
  3. Compagno, L. J. V. (1984). Sharks of the world : An Annotated and Illustrated Catalogue of Shark Species Known to Date. Volume 4, Part 1 : Hexanchiformes to Lamniformes. FAO Fisheries Synopsis: 125 p.
  4. Centrophorus squamosus (Bonnaterre, 1788) : Leafscale gulper shark no FishBase.
  5. Ricardo Bruno de Araújo Severino, Contributo para o estudo da espécie Centrophorus squamosus e sua importância na pescaria de Aphanopus carbo na Madeira.

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Centrophorus squamosus