Chinês tradicional

Caracteres do chinês tradicional (em chinês: /, transl. Zhèngtǐzì / Fántǐzì; Chinês clássico: /)[1] referem-se a tipos de conjuntos de sinogramas que por padrão são utilizados no chinês escrito contemporâneo. O chinês tradicional é um dos dois padrões de escrita da língua chinesa, sendo o outro o chinês simplificado.

Chinês tradicional
Hanzi.svg
à esquerda, dois caracteres tradicionais e, à direita e em vermelho, as formas simplificadas correspondentes — o caractere superior, "hàn", se refere à maior etnia da China, a Han; e o caractere inferior, "Zi", significa "palavra"
Tipo Logossilabário
Línguas Chinesa
Período de tempo
~500 a.C. até o presente
Sistemas-pais
Sistemas-filhos
Chinês simplificado
Kanji
Hanja
Chữ nôm
Zhuyin
Escrita khitan

Os caracteres tradicionais formaram-se no Libian e a maioria permanece com a mesma estrutura adotada na introdução da escrita regular (século II).[2] Com o decorrer dos séculos, o caractere tradicional foi tomado como a forma padrão dos caracteres chineses impressos, ou chinês clássico (chinês literário), ao redor da sinosfera até meados do século XX,[2][3][4] quando países que utilizam caracteres chineses como sistema de escrita iniciaram diversas reformas na escrita.[3][5][6] O termo "tradicional" é usado para distinguir os caracteres tradicionais do outro padrão de escrita do chinês — os caracteres chineses simplificados — criados pelo governo da China a partir da década de 1950 para fomentar a alfabetização.

Tipologia tradicional mantém-se de uso comum em Taiuã, Honguecongue e Macau, assim como na maioria das comunidades da diáspora chinesa além do sudeste asiático.[7] No entanto a forma simplificada tem vindo a ganhar, gradualmente, mais popularidade, sendo esta utilizada na China, em Singapura e pela comunidade chinesa da Malásia.

O debate acerca dos caracteres tradicionais e simplificados tem sido uma questão perene nas comunidades chinesas.[8][9] Vários jornais chineses passaram a permitir que o leitor alterne entre conjuntos tradicionais e simplificados para a exibição de seus sítios eletrônicos.[10]

Referências

  1. «22.31.1.6.3» (em inglês). Internal Revenue Manual. The standard language for translation is Traditional Chinese. 
  2. a b Wei, Bi (2014). «The Origin and Evolvement of Chinese Characters» (PDF). Gdańskie Studia Azji Wschodniej (em inglês). 5: 33–44. Consultado em 30 de março de 2021 
  3. a b «Why Use CJKV Dict?» (em inglês). CJKV Dict. Consultado em 30 de março de 2021 
  4. Kornicki, Peter (2011). «A Transnational Approach to East Asian Book History». In: Chakravorty, Swapan; Gupta, Abhijit. New Word Order: Transnational Themes in Book History (em inglês). [S.l.]: Worldview Publications. pp. 65–79. ISBN 978-81-920651-1-3 
  5. Pae, H. K. (2020). «Chinese, Japanese, and Korean Writing Systems: All East-Asian but Different Scripts». Script Effects as the Hidden Drive of the Mind, Cognition, and Culture. Col: Literacy Studies (Perspectives from Cognitive Neurosciences, Linguistics, Psychology and Education) (em inglês). 21. Cham: Springer Science+Business Media. pp. 71–105. ISBN 978-3-030-55151-3. doi:10.1007/978-3-030-55152-0_5 
  6. Twine, Nanette (1991). Language and the Modern State: The Reform of Written Japanese (em inglês). [S.l.]: Taylor & Francis. ISBN 978-0-415-00990-4 
  7. Yan, Pu; Yasseri, Taha (maio de 2016). «Two Roads Diverged: A Semantic Network Analysis of Guanxi on Twitter» (em inglês). arXiv:1605.05139  [physics.soc-ph] 
  8. O'Neill, Mark (8 de junho de 2020). «China Should Restore Traditional Characters-Taiwan Scholar» (em inglês). Hong Kong Economic Journal. Consultado em 30 de março de 2021 
  9. Sui, Cindy (16 de junho de 2011). «Taiwan Deletes Simplified Chinese from Official Sites» (em inglês). BBC News. Consultado em 30 de março de 2021 
  10. Lin, Youshun (junho de 2009). «Dà mǎhuá shè yóuzǒu yú jiǎn fánzhī jiān» 大馬華社遊走於簡繁之間 [The Malaysian Chinese Community Wanders Between Simple and Traditional] (em chinês). Yazhou Zhoukan. Consultado em 30 de março de 2021 

Ligações externasEditar