Cneu Cornélio Lêntulo (cônsul em 146 a.C.)

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Cneu Cornélio Lêntulo.

Cneu Cornélio Lêntulo (em latim: Cneus Cornelius Lentulus) foi um político da família dos Lêntulos da gente Cornélia da República Romana eleito cônsul em 146 a.C. com Lúcio Múmio Acaico.[1] Foi pai de Cneu Cornélio Lêntulo (cônsul em 97 a.C.), cônsul em 97 a.C. e irmão de Lúcio Cornélio Lêntulo Lupo, cônsul em 156 a.C. e censor em 147 a.C..

Cneu Cornélio Lêntulo
Cônsul da República Romana
Consulado 146 a.C.

Primeiros anosEditar

Em 161 a.C., Lêntulo foi enviado como embaixador, acompanhado de Públio Apústio, até Cirene com o objetivo de informar Ptolemeu VII da decisão de Roma de encerrar sua aliança com Ptolemeu VI.[2][3] Em 149 a.C., foi eleito pretor.

Consulado (146 a.C.)Editar

Foi eleito cônsul em 146 a.C. com Lúcio Múmio Acaico, mas permaneceu em Roma enquanto Múmio recebeu o comando da Guerra Acaia, que lhe daria imensa fama.[4] Cartago foi destruída no ano em que Lêntulo e Múmio foram cônsules, seiscentos e setenta e dois anos após a sua fundação.[5] Neste mesmo ano, Múmio destruiu Corinto, novecentos e cinquenta e dois anos após sua fundação por Aletes, filho de Hipos.[6] Os dois conquistadores, Cipião Emiliano e Múmio, foram honrados com títulos que faziam referência aos povos conquistados, respectivamente, "Africano" (confirmando o título que já havia recebido por herança do pai) e "Acaico". Múmio foi o primeiro homem novo a receber um cognome por glória militar.[6]

Ver tambémEditar

Cônsul da República Romana
 
Precedido por:
'Públio Cornélio Cipião Emiliano

com Caio Lívio Druso

Cneu Cornélio Lêntulo
146 a.C.

com Lúcio Múmio Acaico

Sucedido por:
'Quinto Fábio Máximo Emiliano

com Lúcio Hostílio Mancino


Referências

  1. T.R.S. Broughton, vol. 1, p. 444, 458, 465; vol. 2 (1952), p. 552; vol. 3 (1986), p. 66.
  2. Políbio, Histórias 31.20.4.
  3. Diodoro Sículo 31.23.
  4. Cícero, Epistulae ad Atticum XIII, 33.
  5. Veleio Patérculo, Compêndio da História romana I 12. § 5
  6. a b Veleio Patérculo, Compêndio da História romana, i. 13. § 2

BibliografiaEditar