Cochliomyia hominivorax

espécie de inseto


Cochliomyia hominivorax, é uma espécie de mosca parasítica conhecida pela forma como as suas larvas comem tecido vivo de animais de sangue quente. Encontra-se presente nas zonas tropicais do Novo Mundo e é uma das cinco espécies do género Cochliomyia. A infestação de um animal vertebrado vivo é tecnicamente designada como miíase. Enquanto que as larvas de muitas espécies de moscas alimentam-se de tecidos necróticos, podendo ocasionalmente infestar uma ferida antiga e pútrida, as larvas desta espécie são invulgares por atacarem tecido saudável. No Estados Unidos, a infestação de gado por esta espécie de mosca é de declaração obrigatória às autoridades veterinárias.

Como ler uma infocaixa de taxonomiaCochliomyia hominivorax
...
...
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Ordem: Diptera
Família: Calliphoridae
Género: Cochliomyia
Espécie: C. hominivorax
Nome binomial
Cochliomyia hominivorax
(Coquerel, 1858)

Ciclo de vidaEditar

As fêmeas de Cochliomyia hominivorax põem 250 a 500 ovos na carne exposta de animais de sangue quente, incluindo humanos, em feridas e umbigos de animais recém-nascidos. As larvas eclodem e enterram-se no tecido circundante à medida que se alimentam. Se a ferida for perturbada durante este período as larvas enterram-se mais profundamente. As larvas são capazes de causar graves danos nos tecidos ou até mesmo a morte do hospedeiro. Entre três a sete dias após a sua eclosão as larvas caem ao solo onde passam a pupas. As pupas atingem o estado adulto cerca de sete dias depois. As fêmeas acasalam entre quatro a cinco dias após a eclosão. O ciclo de vida completo dura aproximadamente vinte dias. Uma fêmea pode pôr até 3000 ovos e voar até 200 km durante a sua vida.

LarvasEditar

 
Larva de Cochliomyia hominivorax

Suas larvas possuem como característica o estigma no formato de dedos separados, possuem espinhos no final do corpo (para fixação no substrato) e troncos traqueais pigmentados e alongados (é aeróbia).

ControleEditar

Os Estados Unidos erradicaram oficialmente esta mosca em 1982 usando a técnica do inseto estéril. Foi igualmente erradicada na Guatemala e Belize em 1994, El Salvador em 1995, e Honduras em 1996. Noutros países, como o México, Nicarágua, Costa Rica, Panamá e Jamaica decorrem ainda campanhas de erradicação.

ReferênciasEditar

  • John Curran, Veterinary Officer, Broome (2002). «Screw-Worm Fly» (PDF). Government of Western Australia: Department of Agriculture Farmnotes. Consultado em 6 de maio de 2006. Arquivado do original (pdf) em 1 de setembro de 2006 
  • California Department of Food and Agriculture Animal Health Branch (janeiro de 2000). «Fact Sheet: Screwworm» (pdf). Consultado em 6 de maio de 2006 
  • James, Maurice T. (1947) The Flies That Cause Myiasis in Man. USDA Miscellaneous Publication No. 631.

Ver tambémEditar