Como Estais Tão Galantinho

Uma canção de Natal portuguesa de Elvas

"Como Estais Tão Galantinho"[1], "O Menino está deitado"[2] ou "Hei de dar ao Menino" é uma canção de Natal tradicional portuguesa originária de Elvas[3]. Era cantada nessa cidade raiana com acompanhamento de ronca[1] nas celebrações religiosas mas, principalmente, nas ruas e à lareira.[1]

HistóriaEditar

 
Bartolomeu Antunes: Adoração dos Pastores (1742) na Igreja de Vilar de Frades.

Segundo o musicólogo português Mário de Sampayo Ribeiro, "Como estais tão galantinho" foi provavelmente produzida pelas freiras do Convento de Santa Clara de Elvas entre o final do século XVIII e o início do século XIX.[4]

A sua primeira publicação ocorreu em 1893 no primeiro fascículo do Cancioneiro de músicas populares de César das Neves e Gualdino de Campos. Esta ficou a dever-se a duas recolhas distintas. Uma do padre Filipe Nery de Sousa Penalva que coligiu a melodia e uma outra, do etnógrafo elvense António Tomás Pires, que recolheu a letra.[3]

Das várias harmonizações que recebeu este tema destacam-se a do compositor Fernando Lopes-Graça para a sua Segunda Cantata do Natal, terminada em 1961[1] e de Jorge Croner de Vasconcelos para os seus Oito Cantos do Natal, terminados em 1974. Nesta última obra recebe o nome de "O Menino está deitado".[2] Ambas as versões encurtaram significativamente o número de quadras.

TextoEditar

 
A Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Como Estais Tão Galantinho
 
Partitura de "Como estais tão galantinho" tal como surge transcrita em 1893 no Cancioneiro de músicas populares.

A cantiga admite uma infinidade de coplas tradicionais.[4] Nas quadras selecionadas por Fernando Lopes-Graça, em que os pastores declaram os presentes que intendem ofertar ao Menino Jesus em troca da sua salvação, o tema é a adoração dos pastores. Em contraste, as selecionadas por Jorge Croner de Vasconcelos descrevem a adoração do Menino pelos anjos, (Reis) e pastores.

Como estais tão galantinho O Menino está deitado

Estribilho:
Como estais tão galantinho
Verbo encarnado, divino!

Coplas:
Hei de dar ao Menino
Uma fita prò chapéu;
Também Ele me há de dar
Um lugarzinho no Céu.

Coplas:
O Menino está deitado[Nota 1]
Sobre palha asp’ra e fria,
Os anjos lhe estão cantando:
“Glória à Virgem Maria.”

Hei de dar ao Menino
Uma fita prá cintura;
Também Ele me há de dar,
No seu peito, sepultura.[Nota 2]

‘Stá na lapa de Belém
O Deus Menino deitado
Filho da Virgem Maria
Pelos três Reis adorado.[Nota 3]

Hei de dar ao Menino
Um vestido cor de amora;
Também Ele me há de dar,
Um lugarzinho na Glória.

Adorando a Deus Menino,
Estão os pastorinhos,
Com a fé no coração
E nas mãos os cordeirinhos.[3]

Hei de dar ao Menino
Para a noite de Natal,
Camisinha de Cambraia
Botõezinhos de cristal.[3]

DiscografiaEditar

  • 1964Fernando Lopes-Graça Second Christmas Cantata. Coro da Academia de Amadores de Música. Decca / Valentim de Carvalho. Faixa 8: "Como estais tão galantinho".
  • 1979Fernando Lopes-Graça Segunda Cantata do Natal. Choral Phidellius. A Voz do Dono / Valentim de Carvalho. Faixa 8: "Como estais tão galantinho".
  • 2012Fernando Lopes-Graça Obra Coral a capella - Volume II. Lisboa Cantat. Numérica. Faixa 8: "Como estais tão galantinho".[1]

Notas e referências

Notas

  1. Na publicação original o verso é "O Menino está nascido".
  2. Esta quadra foi eliminada na versão de Fernando Lopes-Graça.
  3. Esta quadra foi eliminada na versão de Jorge Croner de Vasconcelos.

Referências

  1. a b c d e Paula de Castro; Miguel Azguime, et al. «Segunda Cantata do Natal». Centro de Investigação & Informação da Música Portuguesa 
  2. a b Vasconcelos, J. Croner de (1974). Oito Cantos do Natal. Para coro de vozes iguais 1 ed. Lisboa: [s.n.] 
  3. a b c d Neves, César das; Gualdino de Campos (1893). Cancioneiro de Músicas Populares 1 ed. Porto: Tipografia Ocidental 
  4. a b Ribeiro, Mário de Sampayo (1939). «Música do Natal português». Lisboa. Ocidente. 6 e 7 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar