Comunistas de Esquerda (Rússia)

Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a facção do partido bolchevique. Para a ala mais à esquerda do movimento comunista em geral, veja Esquerda comunista.

Os "comunistas de esquerda" eram uma facção do Partido Comunista Russo (bolchevique) surgida em 1918. Opunham-se ao Tratado de Brest-Litovski[1] e durante algum tempo publicaram o jornal Kommunist (inicialmente como o jornal da estrutura do partido em Petrogrado, depois publicado pela organização regional do partido em Moscovo, e finalmente como um jornal de facção independente.[2]

Os "comunistas de esquerda" também se opunha a medida tomadas no âmbito da gestão das empresas estatizadas, como o salário à peça, o sistema Taylor e o recurso a gestores com poderes similares aos dos "capitães da indústria" capitalistas, defendendo em vez disso um sistema de gestão coletiva, exercido por representantes dos sindicatos, dos sovietes e conselhos económicos regionais, e dos trabalhadores de cada empresa.[3]

No final de 1918, os "comunistas de esquerda" deixaram de existir como uma organização autónoma; no oitavo congresso do PCR(b), alguns participaram na Oposição Militar. Mais tarde, alguns dos "comunistas de esquerda" criaram o grupo Centralismo Democrático.

Referências

  1. Kowlaski 1991, p. 60
  2. «1918». Brinton 1970 
  3. «On the construction of socialism - Nikolai Osinsky (Valerian V. Obolensky)» (em inglês). Libcom. 14 de agosto de 2014 , tradução de Osinsky, Nikolai (abril de 1918). «Stroitelstvo Sotsializma» [A Construção do Socialismo]. Kommunist (em russo) (2) 

BibliografiaEditar

  Este artigo sobre a Rússia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.