Abrir menu principal
Monumento a Bolívar e San Martín, na cidade de Guayaquil.

A Conferência de Guayaquil ocorreu em 26 de Julho de 1822 na cidade homônima, Equador; entre os libertadores Simón Bolívar e José de San Martín para discutir o futuro político da América do Sul. A conferência teve como consequência a anexação da Província Livre de Guayaquil pela Grã Colômbia, sendo portanto, o evento que pôs fim à questão da Independência de Guayaquil.[1]

Nos meses que antecederam a Conferência, a cidade Guayaquil foi epicentro de uma rebelião que propunha a expulsão dos focos de resistência realista (aliados ao Vice-Reino do Peru) e a proclamação de um estado independente. Os revolucionários, no entanto, divergiam entre aliar-se à Colômbia ou Peru, ou ainda criar um república independente. Simón Bolívar decidiu findar a discussão, (pois temia a fragmentação da América em pequenas repúblicas) e levou José de San Martín a partilhar este ideal. Em 31 de julho de 1822, a República de Guayaquil foi oficialmente anexada à Grã Colômbia.


Referências

  Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.