Curiltai

Curiltai[1] ou curultai[2] (em mongol médio: ᠻᠦᠷᠦᠯᠳᠠᠶ, kurultai ou quriltai; em mongol: Хуралдай; romaniz.: Khuraldai; em turco: Kurultay) era uma assembleia realizada pela elite mongol para eleição de seus cãs, planejar campanhas e distribuir recompensas. Nos séculos XIII-XIV, era realizado anualmente no sexto mês lunar (final de junho ou começo de julho) e no mês branco, ou seja, o ano novo lunar (final de janeiro ou início de fevereiro). Podia durar meses e reunir toda a classe dominante, incluindo príncipes e princesas, parentes de cãs, capitães e suas damas, escribas, mordomos e suas esposas. Cada participante podia levar 10 seguidores. Governadores dos povos conquistados não podiam participar, salvo se convidados. Seguindo o costume mongol, as tendas palacianas (ordos) defrontavam o sul e os senhores sentavam a direita em ordem decrescente de senioridade, enquanto suas damas sentavam defrontando-os do lado oposto.[3]

Referências

  1. Stewart 2001, p. 84.
  2. Magalhães 1864, p. 340.
  3. Atwood 2004, p. 462.

BibliografiaEditar

  • Atwood, Christopher P. (2004). Encyclopedia of Mongolia and the Mongol Empire. Nova Iorque: Facts On File, Inc. 
  • Magalhães, D. J. G. de (1864). A Confederação dos Tamoios. Rio de Janeiro: Livraria de B. L. Garnier 
  • Stewart, Stanley (2001). No Império de Gêngis Khan. Tamboré: Manole