Abrir menu principal


Como ler uma infocaixa de taxonomiaCuscomys oblativa[1]
Taxocaixa sem imagem
Estado de conservação
Extinta
Extinta (IUCN 3.1) [2]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Rodentia
Família: Abrocomidae
Género: Cuscomys
Espécie: C. oblativa
Nome binomial
Cuscomys oblativa
(Eaton, 1916)
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Cuscomys oblativa

Cuscomys oblativa é uma espécie de roedor da família Abrocomidae. Endêmica do Peru, era conhecida apenas por restos subfósseis encontrados em criptas incas de Machu Picchu, no departamento de Cusco. Os espécimes conhecidos datavam de 1450-1532 d. C., e apesar de ser considerada extinta pela IUCN, acreditava-se que a espécie ainda existia, visto que a região de Machu Picchu é esparsamente habitada, remota e coberta por florestas de altitude. Em 2014 foi anunciado que uma expedição em 2012 redescobriu o roedor tanto no parque nacional como no santuário histórico de Machu Picchu.

Nomenclatura e taxonomiaEditar

A espécie foi descrita em 1916 por George Francis Eaton como Abrocoma oblativa.[3] Em 1999, Louise Emmons recombinou a espécie para o gênero Cuscomys.[4]

Distribuição geográfica e habitatEditar

A espécie é endêmica do Peru, onde era conhecida apenas de dois exemplares subfósseis encontrados em câmaras mortuárias incas em Machu Picchu datadas de 1450-1532 d.C..[4] A espécie foi redescoberta numa expedição em 2012 que confirmou a presença do roedor no Parque Nacional de Machu Picchu e no Santuário Histórico de Machu Picchu.[5]

ConservaçãoEditar

A União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN) classifica a espécie como extinta já que até 2008 somente dois espécimes subfósseis eram conhecidos, e nenhum exemplar vivo foi registrado em explorações na área.[2] Em 1999, Emmons considerou não haver evidências de que o roedor tivesse sido extinto desde 1500, e sendo a região de Machu Picchu acidentada e esparsamente povoada e ainda coberta por florestas de altitude, cogitou a possibilidade de sua ocorrência na área.[4] Um registro fotográfico feito em 2009 por um guarda florestal levantou a possibilidade da espécie nunca ter sido extinta, e em 2012, uma expedição confirmou a existência do Cuscomys oblativa.[5]

Referências

  1. Woods, C.A.; Kilpatrick, C.W. (2005). Wilson, D.E.; Reeder, D.M. (eds.), ed. Mammal Species of the World 3 ed. Baltimore: Johns Hopkins University Press. pp. 1538–1600. ISBN 978-0-8018-8221-0. OCLC 62265494 
  2. a b Pacheco, V.; Zeballos, Z.; Vivar E.; Dunnum, J. (2008). Cuscomys oblativa (em Inglês). IUCN 2014. Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN de 2014 Versão 1. Página visitada em 27 de setembro de 2014.
  3. Eaton, G.F. (1916). «The collection of osteological material from Machu Picchu». Mem. Conn. Acad. Arts Sci. 5: 1-96 + 39 pl. 
  4. a b c Emmons, L. (1999). «A New Genus and Species of Abrocomid Rodent from Peru (Rodentia: Abrocomidae)». American Museum Novitates. 3279: 1-14 
  5. a b Hance, J. (25 de setembro de 2014). Mongabay.com http://news.mongabay.com/2014/0925-hance-inca-rat.html. Consultado em 27 de setembro de 2014  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  Este artigo sobre roedores, integrado ao WikiProjeto Mamíferos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.