Damn the Torpedoes

Álbum de estúdio de 1979 por Tom Petty and the Heartbreakers
Damn the Torpedoes
Álbum de estúdio de Tom Petty and the Heartbreakers
Lançamento 19 de outubro de 1979
Gravação 1978-1979
Gênero(s) Rock 'n' roll
Duração 36:38
Gravadora(s) Backstreet Records
Produção
Cronologia de Tom Petty and the Heartbreakers
You're Gonna Get It! (1978)
Hard Promises (1981)
Singles de Damn the Torpedoes
  1. "Don't Do Me Like That"
    Lançamento: 5 de novembro de 1979 (1979-11-05)
  2. "Refugee"
    Lançamento: 11 de janeiro de 1980 (1980-01-11)
  3. "Here Comes My Girl"
    Lançamento: 7 de abril de 1980 (1980-04-07)
  4. "Even the Losers"
    Lançamento: julho de 1980 (1980-07) (somente na Austrália)

Damn the Torpedoes é o terceiro álbum de estúdio de Tom Petty and the Heartbreakers, lançado em 20 de outubro de 1979. Este foi o primeiro de três álbuns Petty originalmente lançados pela gravadora Backstreet Records, distribuídos pela MCA Records. Ele se baseou no sucesso comercial e na aclamação da crítica de seus dois álbuns anteriores e alcançou o segundo lugar na parada de álbuns da Billboard.[1] O álbum tornou-se certificado Triple Platinum pela Associação da Indústria de Gravação da América (RIAA).

Em 2003, o álbum foi classificado em 313 na lista da revista Rolling Stone dos 500 maiores álbuns de todos os tempos [2] e 315 em uma lista revisada de 2012.[3]

Antecedentes e gravaçãoEditar

O contrato de gravação de Petty foi atribuído à MCA quando seu distribuidor ABC Records foi vendido à MCA em 1979. Petty argumentou que seu contrato não poderia ser atribuído a outra gravadora sem sua permissão e, portanto, foi anulado. A MCA respondeu processando Petty por quebra de contrato, o que o levou a declarar falência como uma tática para anular seu contrato com a MCA.[4] O assunto foi resolvido com Petty assinando um novo contrato de gravação com a Backstreet Records, uma gravadora subsidiária da MCA. O álbum, co-produzido por Jimmy Iovine, foi gravado no Sound City Studios em Van Nuys e Cherokee Studios em Hollywood.[5] O título é uma referência a uma famosa citação do almirante David Farragut: "Malditos sejam os torpedos, a toda velocidade!" ("Damn the torpedoes, full speed ahead!").

Liberação e recepçãoEditar

O álbum foi um avanço para Petty and the Heartbreakers. Foi o primeiro álbum do top 10 subindo para o 2º lugar (por sete semanas, atrás somente do álbum The Wall do Pink Floyd) na parada de álbuns da Billboard. Ele produziu duas músicas que alcançaram o top 15 na parada de singles da Billboard Hot 100, "Don't Do Me Like That" (# 10) e "Refugee" (# 15).[6][7] Graças ao novo co-produtor Jimmy Iovine, Damn the Torpedoes provou ser um grande salto em frente na produção.

A recepção crítica geralmente reflete o sucesso comercial do álbum. A crítica original da Rolling Stone revelou que era o "álbum que todos estávamos esperando - ou seja, se fôssemos todos os fãs de Tom Petty, o que seria se houvesse justiça no mundo".[8] O crítico do Village Voice, Robert Christgau, disse: "Este é um avanço para Petty, porque pela primeira vez os Heartbreakers ... estão balançando tão poderosamente quanto ele está escrevendo. Mas se Petty tem alguma necessidade de ultrapassar o mero feito - se ele tem algo a dizer - permanece envolto em banalidade. Assim, ele se estabelece como o rock and roll perfeito para quem quer o bem - muito bom, porque Petty realmente conhece suas coisas - rock and roll que pode ser esquecido assim que o registro ou o show termina, o rock and roll que venceu ' perturbe seu sono, sua consciência ou seus preciosos ritmos corporais."

Avaliações subsequentes permaneceram positivos, com Stephen Thomas Erlewine, da All Music, considerando-o como 'um dos grandes registros de álbum da era do rock' e Rolling Stone colocando-o no número 313 em 'Os 500 Maiores Álbuns de Todos os Tempos lista' em 2003;[2] a edição de 2012 da lista o classificou em 315º.[3]

RelançamentosEditar

[ <span title="This claim needs references to reliable sources. (September 2011)">citação necessária</span> ] Em 9 de novembro de 2010, uma edição deluxe do álbum foi lançada em três formatos, um CD duplo, um LP duplo e pacote de disco Blu-ray Audio. Download digital disponível em vários codecs. Todas as faixas (originais e inéditas) foram remasterizadas a partir das fitas master analógicas originais de Chris Bellman no Bernie Grundman Mastering Studios em Hollywood.[9]

Lista de músicasEditar

Todas as faixas escritas por Tom Petty, exceto onde indicado.

Lado A
N.º Título Duração
1. "Refugee"   3:22
2. "Here Comes My Girl"   4:27
3. "Even the Losers"   3:59
4. "Shadow of a Doubt (A Complex Kid)"   4:25
5. "Century City"   3:45
Lado B
N.º Título Duração
1. "Don't Do Me Like That"   2:44
2. "You Tell Me"   4:35
3. "What Are You Doin' in My Life?"   3:27
4. "Louisiana Rain"   5:54
Duração total:
36:38
Edição Bônus Disco 2
N.º Título Duração
1. "Nowhere"   3:38
2. "Surrender"   3:26
3. "Casa Dega" (Lado B do single "Don't Do Me Like That") 3:36
4. "It's Rainin' Again" (Lado B do single "Refugee") 1:31
5. "Shadow of a Doubt (A Complex Kid)" (Ao vivo no Hammersmith Odeon, Londres, 1980) 4:42
6. "Don't Do Me Like That" (Ao vivo no Hammersmith Odeon, Londres, 1980) 2:49
7. "Somethin' Else" (Ao vivo no Hammersmith Odeon, Londres, 1980) 2:28
8. "Casa Dega (Demo)"   3:33
9. "Refugee (Take alternativo)"   4:32
Duração total:
30:15

PessoalEditar

The Heartbreakers

  • Tom Petty - vocal, guitarra rítmica, gaita, produtor
  • Mike Campbell - guitarras (chumbo, ritmo, baixo), teclados
  • Benmont Tench - teclados, vocais de apoio
  • Ron Blair - baixo
  • Stan Lynch - bateria, vocal de acompanhamento

Músicos de sessão

Gravação

  • Jimmy Iovine - produtor
  • Greg Calbi - masterização
  • Shelly Yakus - engenheira
  • John Mathias - engenheiro assistente
  • Thom Panunzio - engenheiro assistente
  • Gray Russell - engenheiro assistente
  • Skip Saylor - engenheiro assistente
  • Tori Swenson - engenheiro assistente

Obra de arte

  • Lynn Goldsmith - fotografia
  • Dennis Callahan - fotografia
  • Aaron Rapoport - fotografia
  • Glen Christensen - fotografia de capa
  • Tommy Steele - direção de arte

Referências