Abrir menu principal
Nota: Se procura pelo mal causado por alguém a outrem, consulte Dano.
Mapa da Escandza, colocando os Danos nas grandes ilhas dinamarquesas

Os Danos (em latim: Dani) eram uma tribo germânica setentrional que vivia na região das ilhas da Dinamarca (e, posteriormente, na Jutlândia), assim como na Terra da Escânia, no sul da Suécia. Entre o séculos XVIII e XV, o termo "danos" (daner) designava toda a população da Dinamarca. A partir do século XV passou a ser usado o termo "dinamarqueses" (danskerne).[1][2]

Os Danos foram mencionados na Gética, obra do século VI de Jordanes, e por Procópio de Cesareia e Gregório de Tours. Em sua descrição de Escandza, Jordanes afirma que os danos eram da mesma linhagem dos suécidos (suíones, Suithiod?) e teriam expulsado os hérulos, de cujas terras então se apossaram.[3]

O historiador dinamarquês Sueno, do século XII, contribuiu para a controvérsia do tema ao atribuir ao mítico rei Dano a origem do nome dos Danos. Poemas em inglês antigo como Widsith e Beovulfo, e obras de autores escandinavos posteriores, como Saxão Gramático (c. 1200), fornecem algumas referências sobre os danos.

Referências

BibliografiaEditar

  • Lund, Niels (2010). «Daner». Den Store Dansk – Grande Enciclopédia Dinamarquesa (em dinamarquês). Copenhague: Gyldendal 
  Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.