David Charles Purley (Bognor Regis, 26 de janeiro de 1945Bognor Regis, 2 de julho de 1985) foi um automobilista britânico de Fórmula 1 nascido na Inglaterra. Apareceu em 13 corridas, sendo 7 disputadas. Sua estreia foi em 3 de junho de 1973. Nas três temporadas em que atuou na categoria, Purley não pontuou.

David Purley
Informações pessoais
Nome completo David Charles Purley
Nacionalidade britânico
Nascimento 26 de janeiro de 1945
Bognor Regis, Inglaterra, Reino Unido
Morte 2 de julho de 1985 (40 anos)
Bognor Regis, Inglaterra, Reino Unido
Registros na Fórmula 1
Temporadas 1973-1974, 1977
Equipes LEC e Token
GPs disputados 7
Primeiro GP GP de Mônaco de 1973
Último GP GP da França de 1977

Entretanto, ele está na história da Formula 1 por dois motivos: em 1977, quando corria no seu próprio carro, nas pré-qualificações do GP de Inglaterra, em Silverstone, Purley perdeu o controle de seu carro e bateu no muro a 173 km/hora. Ele sofreu uma desaceleração de 178 G, o que fez bater um recorde do Guiness Book como o homem que sobreviveu a pior desaceleração já vista. Somente em 12 de outubro de 2003, no Texas Motor Speedway, esse recorde foi superado pelo sueco Kenny Bräck, quando seu carro decolou e se chocou contra o alambrado, na reta oposta: Brack foi submetido a uma desaceleração de 214 G. Em 2015 a investigação da FIA ao acidente sofrido por Jules Bianchi concluiu que este último sofreu um impacto de 254 G.[1]

Drama na Holanda editar

Um dos momentos mais duros da vida de Purley foi o acidente no Grande Prêmio da Holanda de 1973. Pela March, o britânico tentou salvar a vida de seu amigo e compatriota Roger Williamson, que sofrera um acidente. Williamson não conseguia sair do carro e Purley fazia de tudo para ajudá-lo.

O britânico gesticulava pedindo ajuda aos comissários (que nada fizeram além de olhar) e tentou até desvirar o carro sozinho. Ao perceber que nada mais poderia ser feito, Purley caminhou desolado. Williamson faleceu com 25 anos.

Condecoração editar

Purley foi condecorado com a medalha George Cross, a mais alta distinção inglesa por coragem em situações de salvamento.

Morte editar

Com desgosto da Fórmula 1, David mudou sua área de atuação. Ele começou a fazer acrobacia aérea, destacando-se nessa área.

Contudo, também teria um final trágico: a 2 de Julho de 1985, quando pilotava um biplano de acrobacia aérea, ao largo da cidade de Bognor Regis, País de Gales, o seu avião descontrolou-se e caiu ao mar.

Seu corpo nunca foi encontrado. Tinha 40 anos.

Referências