Abrir menu principal

De Divinatione (latim para Sobre a adivinhação) é um tratado filosófico em dois livros escritos em 44 a.C. por Marco Túlio Cícero, após o assassinato de Júlio César.[1] A obra tem a forma de um diálogo cujos interlocutores são Cicero (falando principalmente no Livro II) e seu irmão Quinto Túlio Cícero.

ObraEditar

A obra trata principalmente em refutar a crença na existência de adivinhações, até então prática acreditada entre os romanos.[2] Por relatar sobre as superstições e crenças romanas originalmente adotadas dos gregos, De Divinatione juntamente com a obra De Fato e De Natura Deorum servem de estudo para as crenças e religião estoicas.[3]

Referências

  Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.