De brevitate vitae

De Brevitate Vitae (frequentemente traduzido do latim ao português como Sobre a brevidade da vida) é um ensaio moral composto por Sêneca (Sêneca, o Jovem), um filósofo estoico da Roma antiga, a seu amigo (e possivelmente cunhado) Paulino.

Busto de Seneca (Antikensammlung Berlin / Coleção de Antiguidades de Berlim, a maior coleção de artes clássicas do mundo, atualmente mantida no Altes Museum e no Museu de Pérgamo na cidade de Berlim.)
Disambig grey.svg Nota: Para a canção acadêmica, veja Gaudeamus igitur.

Neste escrito o filósofo levanta vários princípios estoicos sobre a natureza do tempo, como por exemplo, que os seres humanos despendem muito de seu tempo perseguindo objetivos sem valor ou sentido.

Segundo suas palavras, a natureza concede o tempo necessário a cada indivíduo para que ele/ela possa realizar o que realmente é importante na vida, portanto exigindo que cada ser humano organize bem o seu tempo.

A vida, se você souber usá-la, é longa[1]

O estudo da filosofia geralmente é o melhor uso do tempo, segundo Seneca.

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar