Declaração Balfour (1917)

Disambig grey.svg Nota: Para documento da conferência imperial britânica presidida por Arthur Balfour, veja Declaração Balfour de 1926.

Declaração Balfour é uma carta de 2 de novembro de 1917[1] do então secretário britânico dos Assuntos Estrangeiros, Arthur James Balfour,[1] dirigida ao Lionel Walter Rothschild, Barão Rothschild, líder da comunidade judaica do Reino Unido,[1][2] para ser transmitida à Federação Sionista da Grã-Bretanha. A carta se refere à intenção do governo britânico de facilitar o estabelecimento do Lar Nacional Judeu na Palestina, caso a Inglaterra conseguisse derrotar o Império Otomano, que, até então, dominava aquela região.[3]

A carta foi escrita usando-se nos seguintes termos:[4]

Declaração Balfour, 2 de novembro de 1917, Biblioteca Britânica, Londres
"Caro Lord Rothschild,
Tenho o grande prazer de endereçar a V. Sa., em nome do governo de Sua Majestade, a seguinte declaração de simpatia quanto às aspirações sionistas, declaração submetida ao gabinete e por ele aprovada:
`O governo de Sua Majestade encara favoravelmente o estabelecimento, na Palestina, de um Lar Nacional para o Povo Judeu, e empregará todos os seus esforços no sentido de facilitar a realização desse objetivo, entendendo-se claramente que nada será feito que possa atentar contra os direitos civis e religiosos das coletividades não-judaicas existentes na Palestina, nem contra os direitos e o estatuto político de que gozam os judeus em qualquer outro país.´
Desde já, declaro-me extremamente grato a V. Sa. pela gentileza de encaminhar esta declaração ao conhecimento da Federação Sionista.
Arthur James Balfour."

O texto da carta foi publicado na imprensa uma semana depois, em 9 de novembro de 1917.[5][6] A Declaração Balfour foi posteriormente incorporada ao Tratado de Sèvres, que selou a paz com o Império Otomano,[7][8] e também ao documento que instituiu o Mandato Britânico da Palestina.[9] O documento original encontra-se na Biblioteca Britânica.[10]

A França e a Itália, aliadas de Londres na Primeira Guerra Mundial ratificam espontaneamente a Declaração Balfour, prevenindo-se de deixar o Oriente sob administração exclusiva do Império Britânico.[11] Os Estados Unidos endossaram a Declaração em setembro de 1922.[12]

Referências

  1. a b c Amy Tikkanen. «Balfour Declaration United Kingdom [1917]» [Declaração de Balfour Reino Unido [1917]]. Encyclopædia Britannica (em inglês). Consultado em 16 de dezembro de 2022 
  2. Amy Tikkanen. «Lionel Walter Rothschild, 2nd Baron Rothschild» [Lionel Walter Rothschild, 2º Barão Rothschild]. Encyclopædia Britannica (em inglês). Consultado em 16 de dezembro de 2022 
  3. «Pre-State Israel: Under Ottoman Rule (1517 – 1917)» [Pré-Estado de Israel: sob o domínio otomano (1517 – 1917)]. Jewishvirtuallibrary.org (em inglês). Consultado em 16 de dezembro de 2022 
  4. «The Balfour Declaration (1917)». Universidade Estadual de Washington (em inglês). Consultado em 16 de dezembro de 2022. Cópia arquivada em 3 de março de 2016 
  5. «The Balfour Declaration and its Consequences» [A Declaração de Balfour e suas Consequências]. Versobooks.com (em inglês). Consultado em 16 de dezembro de 2022. Report on the Balfour Declaration in the Times of London, 9 November 1917 (Relatório sobre a Declaração de Balfour no Times de Londres, 9 de novembro de 1917) 
  6. Declaração de Balfour no The Times de Londres (em inglês), 9 de novembro de 1917
  7. Adam Augustyn. «Treaty of Sèvres Allies – Turkey [1920]» [Tratado de Sèvres Aliados – Turquia [1920]]. Encyclopædia Britannica (em inglês). Consultado em 17 de dezembro de 2022 
  8. «The Historical Paths to the Balfour Declaration» [Os caminhos históricos para a Declaração de Balfour]. Jcpa.org (em inglês). Consultado em 17 de dezembro de 2022. celebrate [...] the incorporation of the Balfour Declaration into the San Remo Declaration in April. The latter formed part of the Treaty of Sèvres signed with Turkey in August 1920. 
  9. «The Balfour Declaration and the British Mandate on Palestine» [A Declaração de Balfour e o Mandato Britânico na Palestina]. Jcpa.org (em inglês). Consultado em 17 de dezembro de 2022. the Principal Allied Powers have also agreed that the Mandatory should be responsible for putting into effect the declaration originally made on November 2nd, 1917, by the Government of His Britannic Majesty, and adopted by the said Powers, in favor of the establishment in Palestine of a national home for the Jewish people, it being clearly understood that nothing should be done which might prejudice the civil and religious rights of existing non-Jewish communities in Palestine. 
  10. «British Library & The Balfour Declaration» [Biblioteca Britânica e Declaração de Balfour]. Thecompletepilgrim.com (em inglês). Consultado em 17 de dezembro de 2022. The original copy of the Balfour Declaration is kept among the special collections located in the British Library in London. 
  11. «The Legal Veracity of the Balfour Declaration» [A veracidade jurídica da Declaração de Balfour]. Jcpa.org (em inglês). Consultado em 17 de dezembro de 2022. In the San Remo Declaration, dated April 25, 1920, the Allied Powers – Great Britain, France, Italy, and Japan, together with the United States as a neutral observer and the Jewish leadership in Palestine – confirmed the pledge contained in the Balfour Declaration concerning the establishment of a Jewish national home in Palestine. 
  12. «Balfour Declaration: U.S. Congress Endorses Declaration (September 21, 1922)» [Declaração de Balfour: Congresso dos EUA endossa a Declaração (21 de setembro de 1922)]. Jewishvirtuallibrary.org (em inglês). Consultado em 17 de dezembro de 2022 
  Este artigo sobre Israel é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  Este artigo sobre o Estado da Palestina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.