Der müde Tod

filme de 1921 dirigido por Fritz Lang
Der müde Tod
Постер фильма Усталая Смерть.jpg
Reich Alemão
p&b • 105
Direção Fritz Lang
Roteiro Thea von Harbou
Fritz Lang
Elenco Lil Dagover
Walter Janssen
Bernhard Goetzke
Rudolf Klein-Rogge
Hans Sternberg
Erich Pabst
Max Adalbert
Georg John
Gênero Aventura, fantasia, romance
Música Giuseppe Becce
Cinematografia Bruno Mondi
Erich Nitzschmann
Herrmann Saalfrank
Bruno Timm
Fritz Arno Wagner
Distribuição Netflix
Lançamento 6 de outubro de 1921

Der müde Tod (no Brasil: A morte cansada) é um filme mudo de 1921 dirigido por Fritz Lang na Alemanha. Rico em efeitos especiais, conta três histórias dentro de seu enredo.

EnredoEditar

Em seu enredo expressionista, no qual a vidas humanas são representadas por uma vela, a Morte dá a uma mulher três chances de salvar seu amado e provar que o amor realmente triunfa sobre a morte. As três histórias dentro do filme ocorrem cada uma num período e local específico, mas não passam de frutos da fantasia: um conto de aventura ambientado na Pérsia e tirado de As Mil e uma Noites, um romance renascentista ambientado em Veneza e uma comédia ambientada na China.

LançamentoEditar

Na Alemanha, o filme foi inicialmente mal recebido, com os críticos reclamando que sua estética não era "alemã" o suficiente. No entanto o filme fez sucesso em outros países.[1] Douglas Fairbanks comprou os direitos para exibir o filme nos Estados Unidos; ele atrasou seu lançamento no país para copiar os efeitos especiais da sequência ambientada na Pérsia para seu filme O Ladrão de Bagdá (The Thief of Baghdad), de 1924.[2]

LegadoEditar

O estilo narrativo do filme influenciou diversos diretores, incluindo Alfred Hitchcock e Luis Buñuel.[1].

Referências

  1. a b Hardy 1995, p. 29.
  2. [1]

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar