Diana (álbum de 1980)

Diana (estilizada na capa como "diana") é o décimo primeiro álbum de estúdio da cantora americana Diana Ross, lançado em 22 de maio de 1980, pela Motown. É o álbum de estúdio mais vendido da carreira de Ross, gerando três singles de sucesso internacional, incluindo os EUA e o hit internacional número um "Upside Down".


Diana
Álbum de estúdio de Diana Ross
Lançamento 22 de maio de 1980
Gravação Dezembro de 1979 - Março de 1980
Gênero(s) R&B, disco, pop, soul
Duração 34:17
Idioma(s) Inglês
Formato(s) LP, K7, CD, Formato Digital
Gravadora(s) Motown
Produção Nile Rodgers, Bernard Edwards
Cronologia de Diana Ross
20 Golden Greats (1979)
To Love Again (1981)

ConcepçãoEditar

Após o sucesso nos Estados Unidos de seu álbum The Boss de 1979, Diana queria um som mais fresco e moderno. Tendo ouvido o trabalho de Nile Rodgers, integrante da banda Chic, na famosa discoteca de Manhattan Studio 54, ela o abordou sobre a criação de um novo álbum de material para ela que afirmava onde ela sentia que estava em sua vida e carreira no período.

Em um episódio de Unsung da TV One, Nile Rodgers disse que a maioria das canções foram criadas após conversas diretas com Diana Ross. Ela teria dito a Rodgers e Bernard Edwards que queria virar sua carreira “de cabeça para baixo”(referência a tradução de Upside Down, canção incluída no álbum) e queria “se divertir novamente”. Como resultado, Rodgers e Edwards escreveram as canções "Upside Down" e "Have Fun (Again)". Depois de encontrar várias drag queens em um clube vestido como a cantora, Rodgers escreveu "I'm Coming Out". Apenas "My Old Piano" veio de seus processos normais de composição.

Inicialmente, Diana não gostou dos resultados do álbum. Após uma prévia do álbum a ser lançado na sequência da reação anti-disco, Frankie Crocker, um influente DJ de Nova York avisou a ela que lançar o álbum em seu estado original levaria até o fim de sua carreira. Ross remixou todo o álbum, auxiliado pelo engenheiro da Motown Russ Terrana, removendo passagens instrumentais estendidas e acelerando o andamento das faixas. Os vocais principais de Ross também foram regravados e remixados para que estivessem na frente e no centro e não ofuscados pela música.[1]

A remixagem das fitas master foi realizada sem o conhecimento ou aprovação de Rodgers e Edwards. Quando lhes foi apresentada a versão "oficial" de "diana", os produtores desaprovaram publicamente e, a certa altura, até consideraram retirar seus nomes da lista de créditos do álbum. A gravadora e a cantora persistiram e a versão lançada do álbum foi a mais comercial, feita por Russ Terrana.

Nile Rodgers e Bernard Edwards foram contratados pela Motown para produzir um álbum seguinte, mas, como Ross deixou a gravadora, ele nunca foi criado. Rodgers e Edwards processaram a Motown, alegando sem sucesso que deviam dinheiro para criar e gravar a versão original do álbum. Em 1989, Rodgers e Ross colaboraram em Workin 'Overtime (#3 US R&B), lançado após o retorno de Ross à Motown. Edwards produziu o single de 1984, "Telephone" (#13 US R&B), do álbum Swept Away de Ross, lançado pelo selo RCA. Rodgers tocou guitarra na música new wave, "It's Your Move", do mesmo álbum. A arte da capa foi fotografada pelo famoso fotógrafo Francesco Scavullo.

Recepção da críticaEditar

Robert Christgau, escrevendo para o The Village Voice, deu ao álbum uma classificação A-. Ele observou que "desde Lady Sings the Blues a Sra. R. não foi forçada a uma camisa de força tão atraente. Sua angularidade alegre e verve pronta para estourar poderiam ter sido projetadas para a sinergia de Rodgers e Edwards - você poderia jurar que ela era tão uma grande cantora como a própria Alfa Anderson. E o Nilo está exibindo mais habilidade com machado do que qualquer guitarrista base da história." [2] Em uma revisão retrospectiva, Charity Stafford do Allmusic chamou o álbum de "o melhor disco solo de Ross". Ela descobriu que "Ross parece mais contundente do que em anos. O estilo em tom de hélio de seus primeiros sucessos com as Supremes está a mundos de distância da forma assertiva com que ela chega ao hit funky" Upside Down ". A produção lustrosa do Chic pode soar um pouco datada para alguns ouvidos, mas amadureceu muito melhor do que muitos álbuns semelhantes da época." [3] Em sua revisão de 2003 da edição de luxo de Diana, Daryl Easlea, da BBC Music, escreveu: "Diana é um retrato artístico de liberdade completa; a escrita de Rodgers e Edwards simboliza a libertação de Ross dos grilhões da Motown em um nível, mas, além disso, o trabalho tem uma universalidade; celebra a homossexualidade, a negritude, a igualdade; um álbum de ideias desafiadoras, amizade e liberdade." [4]

Performance nas paradasEditar

Em parte devido à controvérsia entre Diana Ross, Motown e Nile Rodgers / Bernard Edwards, a Motown lançou o álbum sem um single principal. Isso era inédito, especialmente para uma gravadora como a Motown. No entanto, em sua quarta semana antes do verão, o álbum já estava se aproximando do top 10. "Upside Down" acabou sendo escolhido pelo selo e programadores de rádio. "Upside Down" fez um raro movimento de salto em sua terceira semana do número 49 para o número 10. Em meados do verão de 1980, Ross alcançou seu quinto single número um.

O álbum passou 17 semanas no topo da parada R&B/Dance da Billboard. Alcançando o número dois na parada da Billboard 200 e o número um na parada de álbuns da Billboard Soul por 8 semanas consecutivas, bem como rendendo dois singles no top 10 da Billboard Hot 100, incluindo o single número um "Upside Down", o álbum iria vendem mais de um milhão de cópias nos Estados Unidos e são certificados como Platina pela Recording Industry Association of America. No Reino Unido, ganhou ouro e gerou três singles de sucesso; "Upside Down" (#2), "My Old Piano" (#5) e "I'm Coming Out" (#13). Um quarto single, "Tenderness", também foi lançado em alguns territórios, alcançando o top 40 na Holanda, e mais tarde foi incluído em várias compilações de grandes sucessos. Apesar de seu enorme sucesso de dance e dance radio, nenhum dos singles de Diana foi remixado para uso promocional e / ou comercial enquanto o álbum estava sendo lançado.

"I'm Coming Out" tornou-se um hino para o movimento LGBT.

Cerca de trinta anos após seu lançamento, Diana continua sendo o álbum de estúdio mais vendido de Ross, tendo vendido um total de mais de 10 milhões de cópias em todo o mundo, de acordo com o crítico musical Graham Reid.[5]

"Diana" foi um dos quatro álbuns escritos e produzidos por Edwards e Rodgers em 1980, os outros três sendo Sister Sledge's Love Somebody Today, Sheila e B. Devotion's King of the World, incluindo o single europeu "Spacer" e o quarto álbum de estúdio de Chic, Real People .

Após o lançamento de mais dois singles, o dueto "Endless Love" com Lionel Richie e "It's My Turn", ambos sucessos mundiais, Ross deixou a Motown e assinou um contrato recorde de $ 20 milhões com a RCA Records. O primeiro álbum da gravadora foi o produzido por ele mesmo em 1981, Why Do Fools Fall in Love, que foi disco de platina e gerou dois sucessos no Top 10 nos Estados Unidos. Diana foi remasterizada e lançada como um CD duplo em 2003 contendo os Chic Mixes originais e as mixagens finais da Motown, versões não remixadas, junto com uma seleção de outras faixas de dança da Motown do mesmo período.

Lista de faixasEditar

Todas as faixas foram compostas e produzidas por Bernard Edwards e Nile Rodgers.

Lançamento original em LP e K7Editar

Side A
N.º Título Duração
1. "Upside Down"   4:05
2. "Tenderness"   3:52
3. "Friend to Friend"   3:19
4. "I'm Coming Out"   5:24
Side B
N.º Título Duração
1. "Have Fun (Again)"   5:57
2. "My Old Piano"   3:55
3. "Now That You're Gone"   3:59
4. "Give Up"   3:45

Relançamento em 2001(Reino Unido) e 2003 (Estados Unidos)Editar

Em formato Deluxe Edition, o álbum ganhou um CD bônus com faixas-extras, bem como todas as faixas mixadas originalmente pelo Chic.

CD 1
N.º Título Duração
1. "Upside Down"   4:05
2. "Tenderness"   3:52
3. "Friend to Friend"   3:19
4. "I'm Coming Out"   5:24
5. "Have Fun (Again)"   5:57
6. "My Old Piano"   3:55
7. "Now That You're Gone"   3:59
8. "Give Up"   3:45
9. "Upside Down" (Original Chic Mix) 4:17
10. "Tenderness" (Original Chic Mix) 5:10
11. "Friend to Friend" (Original Chic Mix) 3:20
12. "I'm Coming Out" (Original Chic Mix) 6:01
13. "Have Fun (Again)" (Original Chic Mix) 7:09
14. "My Old Piano" (Original Chic Mix) 4:52
15. "Now That You're Gone" (Original Chic Mix) 3:40
16. "Give Up" (Original Chic Mix) 3:59
CD 2
N.º Título Duração
1. "Love Hangover" (Extended Alternate Mix) 10:25
2. "Your Love Is So Good for Me" (12-Inch Version) 6:36
3. "Top of the World"   3:09
4. "Lovin', Livin' and Givin'" (Ross Album Remix) 5:12
5. "What You Gave Me" (12-Inch Version) 6:08
6. "You Were the One"   4:04
7. "The Diana Ross & the Supremes Medley of Hits" (12-inch Mix) 9:59
8. "No One Gets the Prize"/"The Boss" (12-Inch Re-Edit) 9:41
9. "I Ain't Been Licked" (12-inch Mix) 5:18
10. "Fire Don't Burn"   3:26
11. "We Can Never Light That Old Flame Again" (Alternate Mix) 4:38
12. "You Build Me Up to Tear Me Down"   5:42
13. "Sweet Summertime Livin'"   4:25

Ficha TécnicaEditar

MúsicosEditar

ProduçãoEditar

Referências

  1. «Soul Train Licensing Info». BET.com. Consultado em 20 de fevereiro de 2021 
  2. «Robert Christgau: Album: Diana Ross: Diana». www.robertchristgau.com. Consultado em 20 de fevereiro de 2021 
  3. Diana - Diana Ross | Songs, Reviews, Credits | AllMusic (em inglês), consultado em 20 de fevereiro de 2021 
  4. Easlea, Daryl. «BBC - Music - Review of Diana Ross - Diana - Deluxe Edition». www.bbc.co.uk (em inglês). Consultado em 20 de fevereiro de 2021 
  5. «DIANA ROSS, COMING OUT IN '80: From soul-pop princess to Chic dancefloor diva». Elsewhere by Graham Reid (em inglês). Consultado em 20 de fevereiro de 2021 
  6. «Microsoft OneDrive - Access files anywhere. Create docs with free Office Online.»