Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2014). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Diclorometano
Alerta sobre risco à saúde
Dichloromethane.svg Dichloromethane-3D-vdW.png
Nome IUPAC Diclorometano
Outros nomes Cloreto de Metileno, Dicloreto de Metileno, Freon 30, R-30, DCM, UN 1593, MDC
Identificadores
Número CAS 75-09-2
PubChem 6344
Número EINECS 200-838-9
KEGG C02271
ChEBI 15767
Número RTECS PA8050000
SMILES
InChI
1/CH2Cl2/c2-1-3/h1H2
Propriedades
Fórmula molecular CH2Cl2
Massa molar 84.93 g/mol
Aparência liquído incolor
Densidade 1.3266 g/cm³, liquído
Ponto de fusão

-96.7 °C (175.7 K)

Ponto de ebulição

40 °C (312.8 K)

Solubilidade em água 13 g/l a 20 °C
Pressão de vapor 47 kPa a 20 °C
Riscos associados
Principais riscos
associados
Nocivo (Xn), Carc. Cat. 3
NFPA 704
NFPA 704.svg
1
2
0
 
Frases R R40
Frases S S2, S23, S24/25, S36/37
Ponto de fulgor None
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Diclorometano é um hidrocarboneto clorado, fórmula química CH2Cl2 , peso molecular 84,93 g/mol. É um líquido incolor e volátil. É amplamente utilizado como solvente, pois é considerado um dos compostos organoclorados menos perigosos, apesar de o seu limiar de aroma (214 ppm) indicar que já se ultrapassou o Valor Limite de Exposição (VLE) cerca de 4 vezes (50 ppm). É imiscível em água e dissolve a maioria dos solventes orgânicos.

O Diclorometano foi preparado pela primeira vez pelo químico francês Henri Victor Regnault, que o isolou a partir de uma mistura de Clorometano e Cloro que tinha sido exposto à luz directa do sol. A sua produção em 1995 cifrou-se em cerca de 500 000 ton.[1]

Índice

ProduçãoEditar

O diclorometano é produzido por uma reacção química com Cloreto de metilo ou Metano com Cloro a 400–500 °C. A estas temperaturas tanto o Cloreto de Metilo ou o Metano sofrem uma série de reacções que progressivamente produzem mais produtos clorados.[1]

CH4 + Cl2CH3Cl + HCl
CH3Cl + Cl2CH2Cl2 + HCl
CH2Cl2 + Cl2CHCl3 + HCl
CHCl3 + Cl2CCl4 + HCl

O resultado destes processos é uma mistura de Cloreto de Metilo, Diclorometano, Clorofórmio, Tetracloreto de Carbono. Estes compostos são mais tarde separados através de destilação.

UtilizaçõesEditar

A volatilidade e capacidade para dissolver uma larga gama de composto orgânicos do Diclorometano, torna-o um solvente ideal para muitos processos químicos. No entanto, as preocupações sobre os seus efeitos na saúde humana levaram a uma procura por alternativas ao seu uso.

É amplamente usado como decapante e desengordurante. Na indústria alimentar é usado para descafeinar café e para preparar extratos de Lúpulo e outros aromas.[2] A sua volatilidade levou a que seja usado como agente propulsor de aerossóis e agente de expansão de espumas de poliuretano.

Usado largamente na industria de plásticos para colar Termofixos:

Poliuretano (PR) Resina Epóxica Resina Fenólica

Símbolo de PerigoEditar

 

Referências

  1. a b M. Rossberg et al. "Chlorinated Hydrocarbons" in Ullmann’s Encyclopedia of Industrial Chemistry 2006, Wiley-VCH, Weinheim. doi:233.pub2 10.1002/14356007.a06 233.pub2
  2. Office of Environmental Health Hazard Assessment (2000). «Dichloromethane» (PDF). Public Health Goals for Chemicals in Drinking Water. California Environmental Protection Agency. Consultado em 24 de novembro de 2008. Arquivado do original (PDF) em 9 de outubro de 2009