Abrir menu principal
Diogo Soares da Silva de Bivar
Nascimento 6 de fevereiro de 1785
Morte 10 de outubro de 1865 (80 anos)
Rio de Janeiro

Diogo Soares da Silva de Bivar (6 de fevereiro de 1785Rio de Janeiro, 10 de outubro de 1865)[1] foi um advogado e homem de letras português.

Formado na Universidade de Coimbra e de espírito liberal, foi enviado em degredo para Moçambique por haver hospedado Jean-Andoche Junot em uma propriedade sua em Abrantes. Entretanto, durante a viagem, tomou o rumo da Bahia, na costa do Brasil, onde se fixou. Obteve no Brasil, tempos depois, o perdão pelo crime de colaboracionismo.[2]

Foi redator do periódico Idade d'Ouro do Brazil [3] [4] e fundador do primeiro jornal literário do Brasil, As Variedades ou Ensaios de literatura, que apareceu na Bahia em janeiro de 1812.

Apontado pelo professor Pablo Antonio Iglesias Magalhães como o tradutor da Atalá de Chateaubriand, impressa pela Tipografia de Manoel Antonio da Silva Serva em 1819, sendo a primeira novela publicada na capitania da Bahia.[5]

Na Bahia exerceu a advocacia, mudando-se depois para o Rio de Janeiro. Pai de Rodrigo Soares Cid de Bivar, Luís Garcia Soares de Bivar, e da primeira jornalista brasileira, Violante Atalipa Ximene de Bivar e Velasco.

Foi sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro[6][7][8][9].

Referências

  1. Vianna, Hélio (1945). Contribuição à história da imprensa brasileira. (1812-1869). Rio de Janeiro: Imprensa Nacional. 664 páginas. Consultado em 21 de outubro de 2012 
  2. TAVARES, Luis Guilherme Pontes (2011). «Uma revista raríssima». Observatório da Imprensa. Consultado em 21 de outubro de 2012. Arquivado do original em 11 de novembro de 2011 
  3. BIVAR, Diogo Soares da Silva; MACEDO, Inacio Jose de; SERVA, Manoel Antonio da Silva (1811-1823). Salvador, Bahia: Typ. de Manoel Antonio da Silva ServaIdade d'Ouro do Brazil http://bndigital.bn.br/scripts/odwp032k.dll?t=xs&pr=fbn_dig_pr&db=fbn_dig&use=kw_livre&disp=list&sort=off&ss=new&arg=Idade+d%27Ouro+do+Brazil+&x=0&y=0. Consultado em 21 de outubro de 2012  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  4. CADENA, Nelson Varón (2012). «Quatro mil títulos depois». São Paulo: Imprensa Editorial. Revista Imprensa. 25 (275): 35-37. ISSN 0103-0655. Consultado em 21 de outubro de 2012. Arquivado do original (Impresso, digital) em 6 de outubro de 2012  Parâmetro desconhecido |Autor= ignorado (|autor=) sugerido (ajuda)
  5. Magalhães, Pablo Iglesias (18 de julho de 2017). «A LITERATURA NAS SOMBRAS AS EDIÇÕES EM PORTUGUÊS E OS TRADUTORES DA ATALÁ DE CHATEAUBRIAND NA CRISE DO ANTIGO REGIME LUSO- BRASÍLICO (1810-1820)». Literatura e Sociedade. 0 (23): 104–138. ISSN 2237-1184. doi:10.11606/issn.2237-1184.v0i23p104-138 
  6. BIVAR, Diogo Soares da Silva de (1840). «Parecer sobre a 2ª parte da Crônica dos frades menores da província de Santo Antônio do Brasil por frei Antônio de Santa Maria Jaboatão». Rio de Janeiro: IHGB. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. 2: 369-376. ISSN 0101-4366 
  7. BIVAR, Diogo Soares da Silva de (1843). «Apêndice à crônica do ano de 1842». Rio de Janeiro: IHGB. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. 5: 385-402. ISSN 0101-4366 
  8. BIVAR, Diogo Soares da Silva de (1852). «Parecer sobre o Índice cronológico do sr. dr. Agostinho Marques Perdigão Malheiro». Rio de Janeiro: IHGB. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. 15: 77-87. ISSN 0101-4366 
  9. OLIVEIRA, Cândido Batista de (1852). «Nota sobre um trecho do parecer apresentado ao Instituto... pelo sócio efetivo, o sr. Diogo Soares da Silva de Bivar acerca da obra... Índice cronológico». Rio de Janeiro: IHGB. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. 15: 113-115. ISSN 0101-4366 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.