Discussão:Seita

Discussões ativas

ImparcialidadeEditar

Este artigo é polêmico e pode causar varias controversias sérias, por isso o princípio da imparcialidade deve reger este artigo assim como toda a wikipédia. o comentário precedente deveria ter sido assinado por Wmarcosw (discussão • contrib.)

Erro de traduçãoEditar

Em latim secta não significa "seguidor", e sim "secionar", "dividir", "sectar"...comentário não assinado de 189.27.2.124 (discussão • contrib) (data/hora não informada)

SeitaEditar

Seita A palavra grega (haí·re·sis, da qual deriva a palavra “heresia”) assim traduzida significa “escolha” (Le 22:18, LXX) ou “aquilo que é escolhido”, portanto, “um grupo de homens que se separam de outros e seguem seus próprios princípios [seita ou partido]”. (Greek-English Lexicon of the New Testament [Léxico Grego-Inglês do Novo Testamento], de Thayer, 1889, p. 16) Este termo é aplicado a aderentes de dois ramos destacados do judaísmo, os fariseus e os saduceus. (At 5:17; 15:5; 26:5) Os não-cristãos também chamavam o cristianismo de “seita” ou de “seita dos nazarenos”, possivelmente encarando-o como derivado do judaísmo. — At 24:5, 14; 28:22. O fundador do cristianismo, Jesus Cristo, orou para que prevalecesse união entre seus seguidores (Jo 17:21), e os apóstolos estavam vitalmente interessados em preservar a unidade da congregação cristã. (1Co 1:10; Ju 17-19) A desunião de crença poderia dar margem a ferrenhas disputas, dissensões e até mesmo inimizades. (Veja At 23:7-10.) De modo que seitas deviam ser evitadas, sendo elas obras da carne. (Gál 5:19-21) Os cristãos foram advertidos contra se tornarem promotores de seitas ou de serem desencaminhados por falsos instrutores. (At 20:28; 2Ti 2:17, 18; 2Pe 2:1) O apóstolo Paulo, na sua carta a Tito, mandou que, depois de duas vezes admoestado, o homem que continuasse a promover uma seita fosse rejeitado, evidentemente significando que devia ser expulso da congregação. (Tit 3:10) Os que se negassem a ficar envolvidos em criar divisões dentro da congregação ou em apoiar determinada facção se destacariam pelo seu proceder fiel e dariam evidência de ter a aprovação de Deus. Aparentemente é isso o que Paulo queria dizer ao falar aos coríntios: “Também tem de haver seitas entre vós, para que os aprovados também se tornem manifestos entre vós.” — 1Co 11:19. it-3 pp. 556-557 Publicado pelas Testemunhas de Jeová comentário não assinado de 177.179.116.111 (discussão • contrib) (data/hora não informada)

Fontes restritas, falhas gramaticais dificultando a compreensão, insuficiências conceituaisEditar

O artigo discorre praticamente sobre o que seria seita a partir de uma literatura fundada em psicanálise, ainda que o termo seja de interesse e abrangência muito maiores do que este campo; Está mal escrito e sem rigor na sintaxe dos textos; Insuficiência conceitual por exemplo a designação política "nazi-comunista", sem esclarecer se este termo é citação de Freud e correspondente referência, ou simplesmente uma ideia particular de quem escreve o artigo, e além do mais tal palavra composta é desprovida de um conceito referenciado em ciências políticas possivelmente porque não passaria de uma palavra com finalidade unicamente depreciativa; O texto é grande, mas incapaz de reconhecer e utilizar as áreas do conhecimento interessadas no conceito, e termina sem capacidade de estabelecer algo com clareza a respeito do termo que procura explicar. comentário não assinado de 187.25.40.171 (discussão • contrib) (data/hora não informada)

Amigo anônimo, tenho que concordar com você, o texto estava e ainda está péssimo, por isso marquei como PARCIAL. Retirei grande quantidade de conteúdo, mas ainda tem problemas demais.

O artigo falava em detalhes sobre seitas que já possuem artigo principal, por isso tirei dali aquele tanto de descrição sobre elas. A parte sobre "seitas comerciais" que listava Amway, Herbalife, Dianética, Hoken e Mannatech tinha duas fontes: http://www.culthelp.info/index.php?option=com_content&task=section&id=5&Itemid=9 e Empresas de marketing multinível são esquemas Ponzi disfarçados através da venda de algum produto ou serviço, cujo único objetivo é tirar dinheiro daqueles que estão na base da pirâmide. Fonte: [1]. Porém são fontes muito fracas para uma informação controversa dessas.

O texto também listava como seitas a Umbanda, Pajelança, Wicca e Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra, classificação que não citadas assim em seus artigos, não tinha fontes aqui e eu nunca ouvi falar que elas sejam classificadas assim. Parece vandalismo. O maior problema do texto mesmo é que ele faz uma definição redutora e pejorativa do que seria uma seita, baseado em sociólogos clássicos, o que pode ser referenciado, mas é só um dos pontos de vista possíveis. Aqui se define uma seita como um bando de malucos intransigentes que não aceitam nada diferente do que eles pensam, e acham que são os únicos corretos, ao invés de conceituar como uma subdivisão de uma religião principal que não é aceita pelos ortodoxos, ou "um grupo de homens que se separam de outros e seguem seus próprios princípios [seita ou partido]" (Cf acima, Greek-English Lexicon of the New Testament [Léxico Grego-Inglês do Novo Testamento], de Thayer, 1889, p. 16). É claro que com uma classificação dessas, ninguém vai querer ser classificado como seita. Mas a Umbanda realmente não é seita coisa nenhuma, por nenhum dos pontos de vista, pelo contrário, é uma religião já estabelecida. Tut - Caçador de Vândalos (discussão) 14h16min de 1 de janeiro de 2015 (UTC)

Regressar à página "Seita".