Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: "Santa Doroteia" redireciona para este artigo. Para a igreja de mesmo nome em Roma, veja Santa Dorotea.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Santa Doroteia de Cesareia
Santa Doroteia
Virgem e Mártir
Nascimento  em Cesareia da Capadócia
Morte 304 em Roma
Veneração por Igreja Católica
Principal templo Igreja de Santa Doroteia, em Roma
Festa litúrgica 6 de fevereiro
Atribuições a santa das frutas e das flores
Padroeira A Santa das Flores
Gloriole.svg Portal dos Santos

Doroteia de Cesareia foi uma jovem capadócia, conhecida por oferecer sua virgindade a Deus e por este motivo fora perseguida e martirizada. Também conhecida pela devoção popular como a santa das flores. Nobre, muito rica e bem educada, Doroteia viveu em Cesareia, capital da província romana da Capadócia e foi, segundo a lenda, martirizada por ser cristã no ano de 304, vítima das perseguições de Diocleciano.

Ela e Teófilo são mencionados no Martirológio Romano como mártires de Cesaréia na Capadócia, com um dia de festa em 6 de fevereiro.[1].

VidaEditar

Virgem e mártir, Doroteia de Cesareia sofreu durante a perseguição a Diocleciano, em 6 de fevereiro de 311, em Cesareia na Capadócia. Ela foi levada perante o prefeito Saprício, julgada, torturada e sentenciada à morte. No caminho para o local da execução, o advogado pagão Teófilo disse-lhe, zombando: "Noiva de Cristo, envie-me algumas frutas do jardim do seu noivo". Antes de ser executada, ela enviou a ele, por um garoto de seis anos, seu toucado, que foi encontrado com uma fragrância celestial de rosas e frutas. Teófilo imediatamente se confessou cristão, foi colocado na prateleira e sofreu a morte. Esta é a versão mais antiga da lenda, que foi ampliada posteriormente [2].

VeneraçãoEditar

No Ocidente, ela é venerada desde o século VII. O culto de Doroteia tornou-se difundido na Europa durante a Idade Média. No final da Suécia medieval, ela era considerada o 15º membro dos catorze santos auxiliares, e na arte ocorreu com Santa Bárbara, Catarina de Alexandria e Margarida de Antioquia, formando com elas um quarteto de santos chamadas de fyra huvudjungfrurna ou em latim, "Quattor Virgines Capitales", que significa "As quatro virgens capitais".

PadronadoEditar

Ela é considerada a padroeira dos jardineiros. Em sua festa (6 de fevereiro) as árvores são abençoadas em alguns lugares. [3]

Referências

  1. Martyrologium Romanum. [S.l.]: Libreria Editrice Vaticana. 2001. ISBN 88-209-7210-7 
  2. «CATHOLIC ENCYCLOPEDIA: St. Dorothea». www.newadvent.org. Consultado em 12 de setembro de 2019 
  3. Meier, Gabriel (1909). St. Dorothea. The Catholic Encyclopedia. 5. New York: Robert Appleton Company 
  Este artigo sobre cristianismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.