Abrir menu principal
El sexo débil
Sexo Forte, Sexo Frágil (BR)
Informação geral
Formato Telenovela
Criador(es) Joaquín Guerrero Casasola
País de origem México
Idioma original espanhol
Produção
Diretor(es) Moisés Ortiz Urquidi
Produtor(es) Epigmenio Ibarra
Carlos Payán
Elenco Ver Elenco
Tema de abertura Tema instrumental
Exibição
Emissora de televisão original Cadena 3
Transmissão original 7 de fevereiro24 de julho de 2011
N.º de episódios 120

El sexo débil (no Brasil, Sexo Forte, Sexo Frágil) é uma telenovela mexicana produzida pela Argos Comunicación e Sony Pictures Television e exibida pela Cadena 3 entre 7 de fevereiro a 24 de julho de 2011, em 120 capítulos, substituindo Las Aparicio[1] e antecedendo El octavo mandamiento.

Escrita por Joaquín Guerrero Casasola, produzida por Epigmenio Ibarra e Carlos Payán e dirigida por Moisés Ortiz Urquidi.

No Brasil, foi exibida pela CNT, entre 2 de janeiro a 25 de maio de 2012,[2] substituindo Dona Bárbara.

EnredoEditar

Os Camacho sempre pensaram que o machismo é sinônimo de respeito, liderança e coragem; que o ser masculino é provocado por sentimentos que um homem não deve revelar, ou pelo menos, o que a sociedade exige. Eles são uma família de homens dedicados à medicina cuja principal característica é ser machista. Isso faz com que, um dia, cada uma das mulheres dos Camacho abandone seus parceiros: Álvaro, o filho mais velho, é abandonado porque tem ciúmes de sua esposa, já que ela é mais bem sucedida profissionalmente; Julián é abandonado por sua noiva por ter sido infiel várias vezes; Dante é trocado por um sueco que sua namorada conheceu em Paris; e Agustín, o patriarca, é deixado por sua esposa por não ouvi-la por três décadas de casamento. Bruno, o único Camacho que tem com um relacionamento estável, é homossexual.

Após este evento, os Camacho terá que enfrentar seus medos sozinhos, coincidindo com a chegada de Helena, uma mulher que deixou seu namorado no dia do casamento e que vai mudar a vida de todos os homens desta família.

ElencoEditar

Ator Personagem
Itatí Cantoral Helena Román[3][4]
Raúl Méndez Dante Camacho[5]
Mauricio Ochmann Julián Camacho
Luciana Silveyra Tamara
Khotan Fernández Álvaro Camacho
Arturo Ríos Agustín Camacho[6]
Adriana Parra Silvia Bermúdez
Pablo Cruz Guerrero Bruno Camacho
Marco Treviño Máximo de la Croix
Martina García María
Rodrigo Oviedo Pedro
Bianca Calderón Aída
Adrián Alonso Víctor Camacho
Julia Urbini Tania Camacho
Leticia Fabián Luisa
Augusto Di Paolo Benjamín
Karina Gidi Camila
Cecilia Suárez Alexandra
Juan de Dios Ortiz Gerardo Ramos
Cristhian Alvarado Pancho
Johanna Murillo Lucía

PrêmiosEditar

Premios Festival y Mercado de TV-Ficción Internacional[7]Editar

Referências

  1. «Itatí Cantoral regresa a la TV con telenovela "El sexo débil"». Excelsior. 4 de fevereiro de 2011. Consultado em 12 de setembro de 2015 
  2. «Rede CNT - Sexo Forte, Sexo Frágil». Cnt.com.br 
  3. Vanessa Pérez (12 de janeiro de 2011). «Itatí Cantoral se une a la misión de realizar una televisión con libertad» (em espanhol). El Universal 
  4. Notimex (11 de janeiro de 2011). «Itatí Cantoral es la protagonista de el sexo débil» (em espanhol). Excélsior 
  5. «Promo El Sexo Débil: Dante Camacho» (em espanhol). Dechismes.com 
  6. «Promo El Sexo Débil: Agustín Camacho» (em espanhol). Detelenovelas.com 
  7. «Desde Buenos Aires» (em espanhol). Milenio.com. Consultado em 22 de janeiro de 2012. Arquivado do original em 6 de dezembro de 2011 

Ligações externasEditar