Eleição parlamentar na Albânia em 2013

8ª eleição parlamentar da Albânia


A eleição parlamentar albanesa de 2013 foi realizada em 23 de junho e consistiu no 8º pleito eleitoral realizado no país desde sua redemocratização em 1991.

Eleição parlamentar na Albânia em 2013
Albânia
← 2009 23 de junho de 2013 2017 →

Todos os 140 assentos do Parlamento da Albânia
71 assentos necessários para maioria
Comparecimento 53.46% Aumento 2.69%
Partido Líder(es) % Ass. ±
Aliança para uma Albânia Europeia (83 assentos)
PSSh Edi Rama 41.36 65 +23
LSI Ilir Meta 10.46 16 +12
PBDNJ Vangjel Dule 0.85 1 0
PDK Dhimitër Muslia 0.46 1 +1
Aliança para o Emprego, Prosperidade e Integração (57 assentos)
PDSh Sali Berisha 30.63 50 -18
PRSh Fatmir Mediu 3.02 3 +2
PDIU Shpëtim Idrizi 2.61 4 +1


Lista com partidos que ganharam assentos. Confira o resultado abaixo.
Zgjedhjet e përgjithshme 2013 (harta qarqeve).svg
Primeiro-ministro anterior Primeiro-ministro eleito
Sali Berisha (portret).jpg Sali Berisha
PDSh
Edi Rama
PSSh
Edi Rama in October 2013.png

Resultados eleitoraisEditar

Coalizão Partido Votos % Cadeiras +/–
Aleanca për Shqipërinë Europiane
PSSh 713 407 41.36 65   23
LSI 180 470 10.46 16   12
PBDNJ 14 722 0.85 1   0
PDK 7 993 0.46 1   1
Aleanca për Punësim, Mirëqenie dhe Integrim
PDSh 528 373 30.63 50   16
PRSh 52 168 3.02 3   2
PDIU 44 957 2.61 4   1
Total de votos válidos 1 724 779 98.61
Votos inválidos (brancos e nulos) 24 279 1.39
Total de votos registrados 1 749 058 100
Eleitorado apto a votar 3 271 885 53.46

Repercussão e análiseEditar

Liderada pelo ex-prefeito de Tirana, Edi Rama, a coalizão oposicionista de centro-esquerda intitulada Aleanca për Shqipërinë Europiane (em português: Aliança para uma Albânia Europeia), composta pelo majoritário PSSh e os minoritários LSI, PBDNJ e PDK, sagrou-se vencedora do pleito ao obter 53,13% dos votos válidos e eleger o total de 83 deputados, o que permitiu-lhes assegurar a maioria absoluta de assentos no Parlamento da Albânia para a legislatura seguinte.[1]

Por sua vez, a coalizão governista de centro-direita Aleanca për Punësim, Mirëqenie dhe Integrim (em português: Aliança para o Emprego, Prosperidade e Integração), composta pelo majoritário PDSh e os minoritários PRSh e PDIU, obteve ao todo 36,26% dos votos válidos e elegeu 57 deputados. O resultado foi considerado uma grande derrota para o PDS, pois o partido perdeu 18 assentos parlamentares e viu seus parceiros de coalizão elegerem poucos deputados, embora tenham obtido votações percentualmente superiores quando comparadas às obtidas pelos partidos minoritários da coalizão de centro-esquerda.[1]

Reconhecimento do resultadoEditar

Inicialmente, enquanto a apuração dos votos ainda estava em andamento, os líderes dos dois partidos majoritários reivindicaram a vitória no pleito. Entretanto, em 25 de junho, com a confirmação matemática de seu triunfo eleitoral, Edi Rama fez seu discurso de vitória dizendo: "Eu serei seu primeiro-ministro, mas também seu primeiro servo. O dever será meu; a autoridade será sua".[2]

Por sua vez, o então primeiro-ministro Sali Berisha aceitou publicamente o resultado, assumiu a responsabilidade pela derrota, renunciou às suas funções na liderança do PDS e desejou sucesso ao novo governo eleito, algo que foi bem recebido pela comunidade internacional, que encarou tais gestos como uma prova de evolução da Albânia em termos de maturidade democrática.[3]

Referências

  1. a b «Albanians hand Socialists a landslide, wait on PM to concede». Reuters (em inglês). 25 de junho de 2013. Consultado em 17 de maio de 2022 
  2. «Rama: Unë, Kryeministri dhe kryeshërbëtori juaj». top-channel.tv (em inglês). Consultado em 17 de maio de 2022 
  3. Presse, France (26 de junho de 2013). «Primeiro-ministro albanês reconhece derrota nas eleições». Mundo. Consultado em 17 de maio de 2022 
  Este artigo sobre a Albânia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.