Abrir menu principal

Em Carne Viva (livro)

Romance policial brasileiro
(Redirecionado de Em carne viva)
Em carne viva
Autor(es) José Louzeiro
Idioma Português
País  Brasil
Assunto crime
política
Gênero romance policial
Arte de capa Lúcio Kume
Editora Clube do Livro
Lançamento 1988
Edição brasileira
ISBN 880541869935

Em carne viva é um romance policial brasileiro de autoria de José Louzeiro, publicado em 1988 pela Editora Clube do Livro, São Paulo. O livro é ambientado no Rio de Janeiro e se passa logo após a instituição do AI-5 pelo governo militar, ocorrido em fins dos anos de 1960. O tema central são as relações de quadrilhas de assaltantes e assassinos que tentam se organizar sob a cobertura de policiais corruptos e manipulações de autoridades superiores e grandes criminosos que agem discretamente. Como pano de fundo, a crise política intitucionalizada decorrente dos embates entre a polícia secreta governamental e os subversivos de grupos tais como o MR-8, num cenário de uma metrópole caótica, sofrendo com todo tipo de degradação, especulação imobiliária, trânsito infernal, ruas esburacadas, telefones e serviços públicos em geral ineficientes, prostituição, corrupção e violência.

Personagens principaisEditar

  • Leonam Noronha, 30 anos, o "Léo" - assaltante e assassino frio e calculista, desconfia de todos e tenta tomar o controle da situação, mas é sempre manipulado e traído, mesmo procurando manter uma atitude de lealdade com as pessoas a sua volta.
  • Sebastiana dos Anjos - ex-socialite e viúva de um funcionário governamental importante. Quando o marido caiu em desgraça e acabou assassinado, Sebastiana transformou o casarão onde morava numa pensão. É mãe de Aécio dos Anjos, um jovem subversivo militante do MR-8. Personagem inspirada em Zuzu Angel.[1]
  • Olivia - espanhola, 40 anos, é informante da polícia secreta e trabalha infiltrada. Aluga um quarto na pensão de Sebastiana para descobrir o paradeiro de Aécio. Suspeita de Léo, que se parece com o subversivo, e acaba provocando o rancor assassino do criminoso.
  • Amigo Velho - mulato, investigador policial corrupto e a principal "cobertura" de Léo e sua quadrilha.
  • Barbada - chefão criminoso, faz as ligações entre as quadrilhas de assaltantes, policiais corruptos e bandidos do alto escalão.
  • Aécio dos Anjos - subversivo ligado ao MR-8. É morto pela "polícia politica" enquanto estava prisioneiro, crime testemunhado por Léo. Inspirado em Stuart Angel
  • Tenente Freire - é o principal criminoso da história, embora apareça pouco. Comandou pessoalmente a tortura e assassinato de Aécio.

EnredoEditar

Léo se encontra com Amigo Velho para saber do paradeiro de Careca, seu ex-sócio que o roubou e fugiu. Os dois conversam sobre o plano de unirem as quadrilhas de Léo, liderada por Biela, e a de Pepe, para a realização de grandes roubos. Logo a seguir Biela é envenenado e morto e Léo assume como o novo líder, sem antes também ter sido assassinado Jacaré, que queria o lugar de Biela. Léo quer saber quem matou Biela e desconfia da real causa da morte de Jacaré. Fica sabendo por Amigo Velho que Barbada é o dono do bar onde Biela foi morto e esse se torna seu principal suspeito.

Léo aceita a união das quadrilhas e faz os planos para um grande roubo de jóias. Enquanto isso vai morar na pensão decadente de Sebastiana, sem saber que é muito parecido com Aécio, o filho da mulher, procurado pela polícia secreta por suas atividades subversivas.

Referências