Emeric Essex Vidal

Emeric Essex Vidal
Nascimento 29 de maio de 1791
Bradford
Morte 7 de maio de 1861 (69 anos)
Brighton
Residência Brighton, Londres, Argentina, Uruguai
Cidadania Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda, Reino da Grã-Bretanha
Ocupação pintor, gravador, desenhista, comissário de bordo

Emeric Essex Vidal (Brentford, 29 de maio de 1791 - Brighton, 7 de maio de 1861) foi um marinheiro e pintor aficionado inglês, autor das primeiras pinturas realizadas sobre a vida pública em Buenos Aires e Montevidéu.

BiografiaEditar

Vidal nasceu na Inglaterra e ingressou muito jovem na marinha britânica, onde foi oficial e escrevente até 1853. No curso de suas viagens realizava aquarelas com o propósito de representar com o maior realismo possível o que via, especialmente as paisagens, tipos humanos, vestimenta e atividades características dos lugares e povos que visitava.

Vidal esteve em Buenos Aires e Montevidéu duas vezes: nos últimos meses de 1816 (ano da Declaração de Independência da Argentina) e em 1828-1829.

Sua primeira visita de 1816 foi realizada dentro de um período de dois anos (de 7 de maio de 1816 a 28 de setembro de 1818) em que foi destinado à frota inglesa o Atlântico Sul, atuando como contador do navio S.M.B. “Hyacinth”, ancorado no Brasil, e secretário do almirante da esquadra. Foi nesse período que ele fez a maior parte das aquarelas pelas quais é reconhecido.

As aquarelas feitas por Vidal em sua primeira viagem despertaram interesse na Grã-Bretanha, onde um livro intitulado Picturesque Illustrations of Buenos Ayres and Montevideo (Ilustraciones pintorescas de Buenos Aires y Montevideo), editado por R. Ackermann, publicado em 1820, que inclui uma série de 22 aquarelas feitas na Inglaterra em seu retorno, com base nas aquarelas feitas em sua viagem.

Neste livro, o editor escreveu na apresentação:

...el autor de este trabajo se contentó con bosquejos, originalmente sin vistas a publicarlos, algunos rasgos característicos que presentaban las ciudades de Buenos Aires y Montevideo, y aquellas singularidades en las costumbres, maneras e indumentarias de las gentes en la forma más sorprendente que se les presentaran durante una residencia de tres años en el país. Estos diseños, cree él, resultarán tanto más aceptables a los interesados, cuanto que, a su conocimiento, ninguna ilustración gráfico de esos lugares había sido, hasta ahora, presentada al público.[1]

Essas lâminas, publicadas em 1820, foram utilizadas várias vezes nas décadas siguintes para ilustrar publicações relacionadas com o Rio da Prata, e em 1946 Vidal foi considerado como precursor da pintura argentina, ao ser incluído brevemente por José León Pagano em seu livro clássico, Historia del Arte Argentino.[2]

ObraEditar

 
El Fuerte y la playa baja, sua primeira aquarela (1816).
 
"Matadero sur".

Embora Vidal não tenha sido a primeira pessoa a fazer pinturas dos territórios argentino e uruguaio, ele foi o primeiro a apresentar um registro pictórico de suas cidades por dentro, seus colonos gaúchos e os ofícios e tarefas característicos do Rio da Prata. A pintura anterior é religiosa ou refere-se à vida indígena, como no caso do jesuíta alemão Florian Paucke.

Fue el primer pintor que entró a la ciudad.
Vicente Cútolo.[3]

Vidal foi o primeiro a pintar a Plaza de Mayo; ele registrou o gaúcho com boleadeiras caçando rheas; os carros de água puxados por bois, que segundo ele foram a primeira coisa a chamar a atenção do visitante;[1] os matadouros que ele descreve como "repugnantes",[1] os pescadores a cavalo; os uniformes das milícias; as roupas dos gaúchos; as crianças "milkies" (vendedores de leite), etc. Suas aquarelas são acompanhadas de extensas descrições escritas, sobre ofícios, procedimentos, projeto das ferramentas, etc.

No entanto, é notável que Vidal não tenha pintado o interior das casas de Buenos Aires e Montevidéu, limitando-se às cenas públicas ao ar livre.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c Rodríguez, María Inés; Ruffo, Miguel. Emeric Essex Vidal: representación plástica y literatura, Museo Roca.
  2. Pagano, José León (1946). Historia del Arte Argentino, Buenos Aires, Editorial L'Amateur.
  3. Cútolo, Vicente Osvaldo (). Nuevo diccionario biográfico argentino, Buenos Aires: Elche, Tomo VII, pags. 596-597.

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Emeric Essex Vidal