Abrir menu principal
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde setembro de 2019). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Emilio Sessa (Bergamo, Norte da Itália, 10 de agosto de 1913 - Bergamo, Norte da Itália, 04 de fevereiro de 1990) foi um pintor muralista e decorador que deixou inúmeras obras na Itália e no Brasil. Filho de Annibale Sessa pintor-decorador, formado pela Accademia Carrara de Bergamo e Camila Sessa. Emilio estudou na Escola de Arte Aplicada Andrea Fantoni. Em abril de 1942, casou-se com Antonia Sessa.  E, após realizar diversos trabalhos na Itália, chegou ao Rio Grande do Sul em 1948, onde atuou até 1965, quando retornou para sua cidade natal.

FormaçãoEditar

Emílio Sessa iniciou seu aprendizado com cerca de dez anos de idade, na pequena equipe montada pelo pai, Annibale Sessa.  Trabalhou na pintura, decoração e restauro de diversos palácios e residências de Bergamo. Em 1927, ingressou na Escola de Arte Aplicada Andrea Fantoni, fundada em 1898, e destinada a ministrar os fundamentos das artes industriais, com finalidades práticas.

Trabalhos na ItáliaEditar

1929-30 - Entra para a Oficina de Fermo Taragni (1871-1948), pintor-decorador formado pela Accademia Carrara (1885-1890), responsável por importantes trabalhos de decoração como no Batistério da Catedral e na cúpula do Teatro Donizetti, ambos em Bergamo. Emilio trabalhou, também, em diversas oportunidades, com os pintores-figuristas Pasquale Arzuffi e Umberto Marigliani, que possuíam oficinas na mesma rua da Bottega de Taragni, a Via dei Pittori.

1931-33 – Designado por Taragni, acompanha até Sofia, Bulgaria, o afresquista Pasquale Arzuffi (1897-1960), que fora chamado por Angelo Roncalli (futuro Papa João XXIII) para a decoração da Legação Apostólica e, após, da Igreja São José. Angelo Roncalli fazia parte da rede social da família Sessa.

1936-38 - Une-se ao grupo de bergamascos, liderados por Fermo Taragni, do qual também participavam Aldo Locatelli e os pintores-figurinistas Pasquale Arzuffi e Umberto Marigliani, que afrescaram cerca de 4.000 m² de superfícies murais no Santuário de Nossa Senhora do Rosário, em Pompéia.

1942 - Iniciou sua trajetória por conta própria, empreitando trabalhos de decoração em parceria com outros pintores-figuristas. Executa, junto com Angelo Sesti, a pintura da Igreja de S. Miguel Arcanjo, em Valnegra, uma das pequenas comunas da província de Bergamo que no contexto da Segunda Guerra Mundial, contrataram serviços de Sessa.

1943 – Contratado para a decoração da Igreja de São Gottardo, em Bueggio, Itália, com Giuseppe Grimani.

1944 – Contratado para a decoração da Igreja da Visitação de Maria, em Sellero, Itália. Convida Giuseppe Grimani para participar.

1945 – Termina a decoração da Igreja Santíssima Trindade, iniciada em 1944, na companhia de Angelo Sesti.

1946 – Participa da repintura da Igreja de São Colombano, em Parzanica, na companhia de Giuseppe Grimani e Aldo Locatelli.

Trabalhos no BrasilEditar

1948 – Sessa inicia os contatos com o bispo D. Antonio Zattera para a execução do projeto de decoração da Catedral São Francisco de Paula em Pelotas no Rio Grande do Sul. Em novembro do mesmo ano, chega à Pelotas, acompanhado de Aldo Locatelli e Adolfo Gardone.

1949 – Realizou pinturas do presbitério e da nave principal da Catedral de Pelotas, modificando completamente o visual interior. Neste mesmo ano, foi convidado, junto com Locatelli, por Dona Marina de Morais Pires, para lecionar desenho na Escola de Belas Artes de Pelotas. O convite foi aceito apenas por Locatelli.

1950 – Em março deste ano, Sessa entrega a primeira etapa da pintura da Catedral de Pelotas, a nave central.

[texto incompleto, em construção]

Trabalhou junto ao amigo Aldo Locatelli em várias obras, como as do Palácio Piratini, da igreja de Santa Teresinha do Menino Jesus e do Aeroporto Salgado Filho.

Entre as obras de Emilio Sessa está a Capela Verzeri, localizada na cidade de Santo Ângelo no Rio Grande do Sul. A capela possui pintura em todas as paredes e teto, um conjunto de obras sagras de uma beleza ímpar.

ReferênciasEditar

  • Rosa, Renato & Presser, Décio. Dicionário de Artes Plásticas no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: EDIUFRGS, 1977.
  • DOBERSTEIN, Arnoldo W. (org.). Emilio Sessa, Pintor: Primeiros Tempos. Porto Alegre: Edição Gastal&Gastal, 2012. 160p.
  • DOBERSTEIN, Arnoldo W. (org.). Emilio Sessa, Pintor: Tempos Intermediários. Porto Alegre: Edição Gastal&Gastal, 2014. 184p.
  • Site do Instituto Cultural Emilio Sessa (ICES): http://www.emiliosessa.com.br/ci/