Abrir menu principal

Energia maremotriz, ou energia das marés, é o modo de geração de energia por meio do movimento das marés. Dois tipos de energia maremotriz podem ser obtidos: energia cinética das correntes devido às marés e energia potencial pela diferença de altura entre as marés alta e baixa.[1]

O aproveitamento da energia das marés pode ser feito a partir de centrais elétricas que funcionam por ação da água dos mares. É necessária uma diferença de 7[2] metros entre a maré alta e a maré baixa para que o aproveitamento desta energia seja renovável. Atualmente na Europa existem pelo menos duas destas centrais:Uma no norte de França e outra na Rússia.

Índice

Entendimento da energia das marésEditar

 
Maquete representativa da aplicação de uma turbina de bulbo, numa usina geradora de energia maremotriz.

Apesar de ser considerada uma energia "renovável", a energia das marés está longe disso, e é sim uma fonte de energia totalmente possível de um dia acabar. O que acontece, é que levaria um período de tempo muito longo até ocorrer algum efeito significativo no planeta, ou seja, a curto prazo, pode-se considerar inesgotável.

O Sol e da Lua interferem nas marés (mudanças no nível do mar) por meio da força gravitacional. O potencial energético das marés é utilizado desde o séc. XI, na costa da Inglaterra e da França, para a movimentação de pequenos moinhos.[3]

No sistema Lua-Terra-Sol, três diferentes corpos permanecem se movimentando um em relação ao outro graças a energia potencial contida neste sistema. A energia das marés, pega exatamente essa energia potencial e transforma em outros tipos de energia para o consumo humano.[4].

VantagensEditar

Considerado um investimento de longo prazo sem o esgotamento de recurso, pois a diferença entre marés é constante. É comum nas áreas de litoral – local onde as usinas devem estar –  possuir grandes variações nos ventos, dias nublados e chuvosos. Isso decresce a taxa de bom aproveitamento de fontes de energia solar e eólica.[5]

DesvantagensEditar

Pouca popularidade. Alto custo de construção e manutenção. Rápida depreciação das instalações por causa da água do mar. Muitos fatores necessários para tornar a instalação viável. Muito esforço para a verificação da viabilidade, sendo complexo e trabalhoso.[5]

Referências

  1. energia maremotriz Arquivado em 9 de junho de 2013, no Wayback Machine. Ministério do Meio Ambiente do Brasil - acessado em 2 de março de 2015
  2. Energia das Marés Site Brasil Escola - acessado em 2 de março de 2015
  3. «Energia das Marés». Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  4. A energia que vem do mar UOL Apoio Escolar
  5. a b «ENERGIA MAREMOTRIZ: GUIA BÁSICO». Consultado em 11 de janeiro de 2018 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre ambiente é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.