Enunciado

Em linguística, enunciado é a menor unidade do discurso. Pode-se dizer, de modo geral, que o enunciado é o dito concreto, falado, lido ou ouvido, em determinada interação linguística.[1]

Representação de diálogo entre duas pessoas. Grosso modo, cada uma produz enunciados na situação real de comunicação

No caso das línguas orais/sinalizadas, os enunciados têm várias características além dos traços segmentais, como expressão facial, gestos, postura, que também interferem na interpretação do que é dito. Recursos prosódicos incluem entonação, bem como reticências, silêncio e repetição. Outras características incluem falsos inícios, atos falhos, sotaque, expressões dêiticas, conectivos, anáforas, implicações e léxico coloquial.[2]

Na história da linguística, diversas teorias da enunciação foram desenvolvidas e repercutidas amplamente pela ciência da linguagem. A teoria de Émile Benveniste, por exemplo, destaca-se por dar ênfase à colocação do "funcionamento da linguagem por um ato individual de utilização", processo que resulta no enunciado.[3] Para Mikhail Bakhtin, todos os enunciados são dialógicos, isto é, fazem referência a dizeres prévios e são uma atitude responsiva a estes, e o conjunto de enunciados mais ou menos estáveis agrupam-se num mesmo gênero.[4] Além dessas teorias, Oswald Ducrot, Paul Grice, John L. Austin, Algirdas Julien Greimas, entre outros, também teorizaram sobre enunciação e enunciado.[5][6]

Referências

  1. «Level Up: English Language». www.allinfo.org.uk. Consultado em 5 de outubro de 2016 
  2. Griol, David; Molina, José Manuel; Callejas, Zoraida (31 de janeiro de 2019). «Combining speech-based and linguistic classifiers to recognize emotion in user spoken utterances». Neurocomputing. 326-327: 132–140. ISSN 0925-2312. doi:10.1016/j.neucom.2017.01.120 
  3. Flores, Valdir do Nascimento (2018). «A enunciação escrita em Benveniste: notas para uma precisão conceitual». DELTA. 34 (1). doi:10.1590/0102-445041033947774307. Consultado em 5 de janeiro de 2021 
  4. Zago, Lauciane Piovesan; Costa-Hubes, Terezinha da Conceição (2013). «Conceitos da teoria da enunciação de Bakhtin no gênero "anúncio publicitário"». Raído. 7 (13). Consultado em 5 de janeiro de 2021 
  5. Fiorin, José Luiz (2020). «Duas concepções de enunciação». Estudos Semióticos. 16 (1). doi:10.11606/issn.1980-4016.esse.2020.172329. Consultado em 5 de janeiro de 2021 
  6. Lebler, Cristiane Dall’ Cortivo; Santorum, Karum (2020). «A teoria da argumentação na língua e a explicação do sentido do discurso». Alfa. 64. Consultado em 5 de janeiro de 2021