Abrir menu principal
Cópia do "Epigrama de Stalin" escrito durante o interrogatório de Mandelstam na prisão.

O Epigrama de Stalin, (russo: Кремлёвский горец) é um poema satírico do poeta russo Osip Mandelstam,[1] escrito em novembro de 1933. O poema descreve o clima de medo na União Soviética durante o Stalinismo.[2]

Mandelstam leu o poema só para alguns amigos, incluindo Boris Pasternak e Anna Akhmatova. O poema desempenhou um papel em sua própria prisão e as detenções de filho e marido de Anna, Lev Gumilev e Nikolay Punin.[3]

O "Caucasiano do Kremlin" na quarta linha da primeira estrofe refere-se as montanhas do Cáucaso, lugar de nascimento de Stalin. A frase "O torso de Ossétia" no último paragrafo da quarta estrofe refere-se à etnia de Stalin, cujo avô paterno era um Osseta.

Primeira estrofe do epigramaEditar

Estamos vivendo, mas não podemos sentir a terra onde estamos,

A dez passos você não pode ouvir o que dizemos,

Mas se as pessoas querem falar,

Eles devem mencionar o Caucasiano do Kremlin.[4]

Referências