Erupção do Monte Fuji de 1707

A erupção do monte Fuji da era Hōei (宝永大噴火 'Hōei dai funka'?) foi a terceira erupção deste vulcão registrada, que ocorreu em 1707 (que corresponde ao ano 4 da era Hōei no calendário tradicional japonês), com início em 16 de dezembro, este fenômeno natural prolongou-se até 1 de janeiro de 1708, durante o período Edo. As duas erupções anteriores ocorreram no período Heian (as erupções de Enryaku Jōgan).[1]

Vista do Monte Fuji a partir do lado leste, em primeiro plano e cratera do Monte Hōei no lado esquerdo.
Mapa da extensão de cinzas que cairam durante a erupção Hōei.

Apesar de não ter produzido qualquer fluxo de lava, a erupção da era Hōei expeliu-se para a atmosfera com um grande volume de cinzas vulcânicas, que se estenderam por vastas áreas ao seu redor, chegando exclusivamente a cidade de Edo, situada a 100 km do monte Fuji. Estima-se que o volume total de cinzas tivesse sido de 800.000.000 m³.[2] As cinzas caíram como chuva nas províncias de Izu, Kai, Sagami e Musashi[3]

A erupção ocorreu no lado sudoeste do monte Fuji, e criou três novas crateras numeradas de 1 a 3. O monte Fuji não voltou a entrar em erupção desde então.

Referências

  1. Shikuoka University page
  2. Titsingh, Isaac. (1834). Annales des empereurs du japon, p. 416.
  3. «Cópia arquivada». Consultado em 18 de abril de 2011. Arquivado do original em 25 de março de 2011