Escala de maturidade mental Colúmbia

A Escala de Maturidade Mental Colúmbia, EMMC, é um teste de inteligência, aplicável individualmente, com o objetivo de se obter uma estimativa da habilidade intelectual da criança na faixa etária de 3 a 12 anos. [1]

Foi desenvolvido numa das mais antigas universidades de Nova Iorque, a Universidade Columbia, a partir de 1947, por Bessie B. Burgemeister (1907-1995), Lucille Hollander Blum, e Irving Lorge, com sua primeira edição publicado em 1954 editado pela Psychological Corporation [2]

O teste Colúmbia é considerado um instrumento de medida de raciocínio geral e de maturidade mental, sendo utilizado com crianças normais ou com problemas de ordem motora e/ou comunicacional. [3] Foi desenvolvido para avaliação de crianças com paralisia cerebral ou com outras deficiências relacionadas com funções verbais ou motoras, como referido. Desta proposição é que decorre a instrução do teste de solicitar à criança: "... apontar para ...", como forma de contornar dificuldades de expressão verbal. [4]

O testeEditar

O teste ou escala (EMMC) inclui 100 itens impressos em cartões numerados, com folha de registro correspondente indicando a resposta correta. Cada item consiste numa série de três a cinco desenhos, muitos deles coloridos. [1] Segundo Abou-Jamra e Castillo [5] na proposição inicial foram 85 itens arranjados em ordem de dificuldade crescente. Posteriormente foi feita outra aplicação em sujeitos com patologia cerebral identificando-se a necessidade de incluir itens mais fáceis. o que resultou na composição atual de 100 cartões, 34 mais fáceis e 66 selecionados dos anteriores.

Vários estudos foram feitos correlacionando o Columbia com outros testes de inteligência. [1] A correlação encontrada situou-se entre 0,67 (a mais alta) e 0,39 (a mais baixa). As correlações com o WISC e com o Raven foram significativas, correspondendo respectivamente a 0,60 (WISC) e 0,57 (Raven). Por conta de seu objetivo (maior sensibilidade) os QI sugeridos pelo desempenho no Columbia fora superiores aos resultados obtidos com o Raven e WISC [5]

A inteligência e o desenvolvimento infantilEditar

A medida da inteligência aferida por este teste, portanto, não corresponde exatamente ao Q.I. - quociente de inteligência apesar, como descrito por seus autores, ter se utilizado testes de QI, para validação dos elementos do teste. A correspondência destes ao teste Binet-Simon, forma 1 (revisão de Stanford) para alunos de primeiro grau superior em Nova Iorque; o "Otis Quick Scoring Mental Ability Test", "Alpha" Teste para alunos de segundo e terceiro ano; e o "Otis Quick Scoring Mental Ability Test", "Beta Test" para alunos do quarto ao oitavo grau. [1]

Segundo os critérios atuais de avaliação do desenvolvimento infantil desenvolvidos a partir das contribuições de Jean Piaget (1896-1980) e da Escala de Desenvolvimento de Arnold Gesell (1880-1961) antes dos 12 anos a criança ainda não desenvolveu plenamente a capacidade de utilizar a lógica abstrata ou das proposições que caracteriza este derradeiro estágio do desenvolvimento. [6] [7]

A escala de Gessel propõe a avaliação em quatro aspectos: comportamento motor, comportamento adaptativo, comportamento de linguagem e comportamento pessoal-social. [7] Os resultados correspondem a uma escala de desenvolvimento anos e meses, assim como no teste na escala de desenvolvimento do teste Colúmbia.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c d BURGEMEISTER, Bessie B.;BLUM, Lucille H.; LORGE, Irving. Escala de maturidade mental Colúmbia, manual de aplicação. SP: Editora Psicopedagógica Ltda, 1977
  2. Columbia Mental Maturity Scale-Third Edition Aces. nov. 2015
  3. OLIVA, D. V.; CASTRO, P. F. (2004) Uma proposta para a investigação da inteligência em crianças portadoras de síndrome de Down por meio do Desenho da Figura Humana e da escala Colúmbia de maturidade intelectual. Em: Encontro Latino Americano de Iniciação Científica, Encontro Latino Americano de Pós-Graduação, (pp. 1118-1122). Anais de trabalhos completos. São José dos Campos: Univap.
  4. FERNANDES, José; PULLIN, Aurora Coelho. Estudo da adequação da "Escala de Maturidade Mental Columbia" na avaliação de pré-escolares de baixo nível sócio-econômico. Rev. Saúde Pública, São Paulo , v. 15, supl. p. 126-137, Dec. 1981 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89101981000700014&lng=en&nrm=iso>. access on 03 Nov. 2015.
  5. a b ABOU-LAMRA, Célia C.; CASTILLO, Maria Tereza U. R. Testes de Colúmbia, Raven-Escala Especial, INV e Goodenough. in: ANCONA-LOPEZ, Marília. Avaliação da inteligência 2 v. SP: EPU, 1987 V 2, cap 1 p.3-21
  6. PIAGET, Jean. Seis Estudos de Psicologia RJ, Forense-Universitária, 1999
  7. a b GESSEL, Arnold. Psicología evolutiva, de 1 a 16 años. Buenos Aires: Paidos, 1963

Ligações externasEditar