Escaramângio

Escaramângio (em grego: σκαραμάγγιον; romaniz.: skaramángion) era uma túnica com cinto, mangas e fendas na frente, traseira e laterais que talvez derivou do cafetã dos cavaleiros persas. Sua primeira menção é feita na obra de Teófanes, o Confessor como uma vestimenta persa. Segundo as fontes, o imperador bizantino podia utilizar um escaramângio púrpura, dourado ou vermelho, enquanto os cortesão trajavam escaramângios de várias tonalidades, alguns inclusive com duas cores, como sua vestimenta oficial básica.[1]

Ele não era considerado uma vestimenta particularmente cerimonial e era frequentemente utilizado sob o sago. O imperador a utilizou toda as vezes que deixou o palácio de Constantinopla e ele e seus oficiais retiraram suas roupas de gala e colocaram seus escaramângios para os banquetes. Analisando as figurações, N. P. Kondakov considera que ele foi feito de seda e teve braçadeiras de ouro e uma bordadura em ouro na bainha e acima das fendas. Escaramângios foram presentes imperiais costumeiros e podiam ser utilizados como roupas para o altar. Pensa-se que o termo do século XIV escarânico pode se referir ao sucessor desta roupa.[1]

Referências

  1. a b Sevcenko 1991, p. 1908.

BibliografiaEditar

  • Sevcenko, Nancy Patterson (1991). «Skaramangion». In: Kazhdan, Alexander Petrovich. The Oxford Dictionary of Byzantium. Nova Iorque e Oxford: Oxford University Press. ISBN 0-19-504652-8