Escola de Kyoto

A Escola de Kyoto (京都学派 Kyōto-gakuha) é o movimento filosófico japonês centrado na Universidade de Kyoto que assimilou a filosofia ocidental e suas ideias religiosas e as usou para reformular os insights religiosos e morais da tradição cultural do Leste Asiático.[2] No entanto, o termo também é usado para descrever estudiosos do pós-guerra que lecionaram na mesma universidade, foram influenciados pelos pensadores fundamentais da filosofia da escola de Kyoto, e que desenvolveram teorias distintas da singularidade japonesa.

Caminhada do Filósofo, local de reunião entre os filósofos da Escola de Kyoto.[1]

A Escola de Kyoto, não é uma "escola" de filosofia no sentido tradicional como a Escola de Frankfurt ou a Academia de Platão. Em vez disso, caracteriza-se por um grupo de acadêmicos se reunia em torno da Universidade de Kyoto como um local de encontro. Seu fundador, Nishida, encorajou firmemente o pensamento independente. Segundo James Heisig, o nome "Escola de Kyoto" foi usado pela primeira vez em 1932 por um estudante de Nishida e Hajime Tanabe. A maioria dos membros foi fortemente influenciada pela tradição filosófica alemã, especialmente pelo pensamento de Kant, Hegel, Nietzsche e Heidegger.

Embora o trabalho da Escola de Kyoto não fosse expressamente religioso, foi significativamente influenciado por ele. Por exemplo, Tanabe e Keiji Nishitani escreveram sobre o cristianismo e o budismo e identificaram elementos comuns entre as religiões.[3] Por essa razão, alguns estudiosos classificam os produtos intelectuais da escola como "filosofia religiosa".

BibliografiaEditar

  • Kitaro Nishida, An Inquiry into the Good, translated by Masao Abe and Christopher Ives. New Haven: Yale University Press, 1987 (1921).
  • ——, Art and Morality, translated by D. Dilworth and Valdo Viglielmo. Honolulu: University of Hawaii Press, 1973.
  • ——, Intelligibility and the Philosophy of Nothingness, translated by Robert Schinzinger. Westport: 1958.
  • Tanabe, Hajime, "Demonstratio of Christianity", in Introduction to the philosophy of Tanabe: According to the English translation of the seventh chapter of the demonstration of Christianity, translated by Makoto Ozaki, Rodopi Bv Editions, January 1990, ISBN 90-5183-205-2,ISBN 978-90-5183-205-1
  • --, "The Logic of The Species as Dialectics," trns. David Dilworth; Taira Sato, in Monumenta Nipponica, Vol. 24, No. 3, 1969, pp. 273–288.
  • --, Philosophy as Metanoetics (Nanzan studies in religion and culture), Yoshinori Takeuchi, Valdo Viglielmo, and James W. Heisig (Translators), University of California Press, April 1987, ISBN 0-520-05490-3.
  • Keiji Nishitani, Religion and Nothingness, Berkeley: University of California Press, 1982. ISBN 0-520-04946-2
  • ——, The Self-overcoming of Nihilism, translated by Graham Parkes and Setsuko Aihara. Albany: State University of New York Press, 1990.
  • Yoshinori Takeuchi, The Heart of Buddhism, translated by James Heisig. New York: 1983.

Referências

  1. Rom International (ed.) "Road Map Surprise! Learning Knowledge" Kawade Shobo Shinsha <KAWADE Yume Bunko>, 1 de fevereiro de 2005. ISBN 4-309-49566-4
  2. D.S. Clarke, Jr. "Introduction" in Nishida Kitaro by Nishitani Keiji, 1991.
  3. Tanabe in Philosophy as Metanoetics and Demonstratio of Christianity, and Nishitani in Religion and Nothingness and On Buddhism.
  Este artigo sobre filosofia/um(a) filósofo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.