Diferenças entre edições de "Tratado de Nerchinsk"

68 bytes adicionados ,  15h19min de 2 de outubro de 2010
m
sem resumo de edição
m (Bot: Adicionando: id:Traktat Nerchinsk)
m
O '''Tratado de Nerchinsk''', assinado a [[27 de Agosto]] de [[1689]], foi o primeiro subscrito pela [[Império Chinês|China]] com uma potência da [[Europa]], neste caso o [[Império Russo]]. O tratado delimitava as fronteiras entre China e Rússia e punha fim a uma série de conflitos entre as tropas chinesas estacionadas em [[Manchúria]] e diversas colônias russas como [[Albazin]] e [[Nerchinsk]], povoadas no seu maior parte por [[cossaco]]s.
 
Por meio deste tratado, Rússia renunciava a qualquer reclamação sobre a região do [[Amur]], que até então fora a sua via de saída para o [[Mar de Okhotsk]], e reconhecia os limites do seu império na cordilheira de [[Montes Stanovoy|Stanovoi]] e o [[rio Argun]]. Em consequência, Albazin, que ficava em território chinês, foi destruída e abandonada. [[Pedro I da Rússia|Pedro o Grande]] conseguia como contrapartida uma paz duradoura com o [[Imperador Kangxi]] e os seus descentes, ademais de privilegiadas relações comerciais com o [[Dinastia Qing|Império Qing]]. Na assinatura do tratado foram de vital importância os [[missionário]]s [[jesuíta]]s da Corte de [[Kangxi]], nomeadamente [[Jean-François Gerbillon]] e [[Tomás Pereira]], que serviram como tradutores do [[língua chinesa|chinês]] para o [[latim]], idioma que os oficiais russos conheciam.
 
As condições de Nerchinsk mantiveram-se até à assinatura dos tratados de [[Tratado de Aigun|Aigun]] ([[1858]]) e [[Tratado de Pequim (1860)|Pequim]] ([[1860]]), quando Rússia forçou à enfraquecida Dinastia Qing a ceder-lhe importantes territórios na zona do [[rio Amur]] e [[Ásia Central]] em troca de praticamente nada. Estes últimos tratados estabeleceram a maioria das atuais fronteiras da China e [[Mongólia]].
16 459

edições