Diferenças entre edições de "Línguas nigero-congolesas"

62 bytes adicionados ,  14h45min de 12 de maio de 2011
'''Primeiras classificações'''
 
AO grupo nigero-congolês, tal como é hoje conhecido, só foi reconhecido como uma unidade gradualmente. Nas primeiras classificações das línguas africanas, um dos principais critérios usados para diferentes grupos era o uso diferenciado de prefixos para classificar nomes, ou o facto de não seserem usaremusados. O maior avanço veio com o trabalho de Koelle, que, na sua [[Polyglotta Africana]] de 1854, tentou uma classificação cuidadosa em grupos, os quais, em muitos casos, correspondem aos grupos modernos. A primeira avaliação das línguas nigero-congolesas como uma família linguística pode ser encontrada no estudo de Koelle, que encontrou eco em [[Bleek]] (1856), nano qual foi verificado que as línguas atlânticas usam prefixos, tal como muitas línguas subsaarianas. Trabalho subsequente de Koelle, e, décadas mais tarde, o trabalho comparativo de [[Meinhof]], estabeleceuestabeleceram, solidamente, as [[línguas bantus|línguas ''bantu''bantas]] como uma unidade linguística.
 
[[Joseph H. Greenberg]] foi o primeiro a identificar os limites dessa família, que ele chamou de ''"línguas nigero-cordofanianas''" em seu livro ''Languages of Africa''. [[John Bendor-Samuel]] introduziu o nome nigero-congolês para toda a família, o qual está atualmente em uso entre os línguistas.linguistas (veja [[línguas cordofanianas]] da província de [[Cordofão]] no [[Sudão]]).
 
Os grupos pertencentes à família nigero-congolesa são:
 
* '''[[Línguas atlânticas ocidentais|Oeste–Atlântico]]''' ou '''Atlântico ocidental''': inclui, por exemplo, o [[Língua fula|Fula]], uma língua falada pelo [[Sahel]], e o [[Língua wolof|wolof]], falada no [[Senegal]].
* '''[[Línguas mandê|Mandê]]''': faladas na [[África Ocidental]]; inclui, por exemplo, o [[Língua bambara|bambara]], a principal língua do [[Mali]], e o [[Língua mandinga|mandinga]].
* '''[[Línguas gur|Gur]]''': faladas entre outros lugares na [[Costa do Marfim]], [[Togo]], [[Burkina Fasso]] e Mali, inclui, por exemplo, o [[Língua mòoré|mòoré]], principal língua do Burkina Fasso, falado pelos [[mossi]].
* '''[[línguas kru|Kru]]''': faladas na África Ocidental, inclui, por exemplo, o [[Língua bassa|bassa]], falado na Libéria, e o [[Língua bété|bété]], falado na Costa do Marfim.
* '''[[Línguas kwa|Kwa]]''': inclui, por exemplo, o [[Akan (língua)|akan]], falado em [[Gana]], o [[Língua baoulé|baoulé]], falado na Costa do Marfim, o [[Língua ewe|éwé]], principal língua do Togo e o [[Língua fon|fon]], principal língua do [[Benim]].
* '''[[Línguas ijo|Ijo]]''': pouco conhecidas, faladas na [[Nigéria]].
* '''[[Línguas adamawa-ubangi|Adamawa–ubangi]]''': inclui o [[Língua ngbandi|ngbandi]], falado na [[República Centro-Africana]])
* '''[[Línguas benue-congolesas|Benue–congolês]]''' inclui, por exemplo, o [[língua iorubá|iorubá]] e o [[língua igbo|igbo]], falados na Nigéria, e o bem grande ramo das línguas ''[[Línguas bantus|bantubantas]]'', que inclui, por exemplo, o [[EMakua|macua]], o [[quimbundo]], o [[kiswahili|swahili]], o [[ChiTsonga|tsonga]], o [[umbundo]].
 
Alguns linguistas ligam as cerca de trinta [[línguas cordofanianas]] aà família nigero-congolêscongolesa, formando uma família de línguas [[línguas níger-cordofanianas|nígernigero-cordofanianacordofanianas]]. Embora essa seja uma hipótese plausível, essa idéiaideia ainda é tratada como não provada.
 
==== Tonal ====
A grande maioria das línguas nigero-congolesas nos dias atuais são [[Língua tonal|tonais]]. Um típico sistema de tom nigero-congolês envolve dois ou três contrastantes níveis de tons. Quatro níveis de sistemas são menos generalizados, e cinco níveis de sistemas são raros. Apenas poucas línguas nigero-congolesas são não- tonais; o [[suaíli]] é, talvez, a mais conhecida, mas, dentro dado ramaramo [[Línguas atlântico-congolesas|atlântico]], algumas outras são encontradas. Imagina-se que o proto-nigero-congolês tenha sido uma língua tonal com dois níveis contrastantes. SincrônicoEstudos sincrônicos e estudos comparativoscomparativo-históricos dos sistemas de tom demostram que um tal sistema básico pode facilmente desenvolver mais contrastes tonais sob a influência de [[depressor consonante]]s ou através da introdução de uma [[descendente mudança de tom]]. Línguas que têm mais níveis tonaltonais tendem a usar tomusá-los mais para as diferenciações [[léxico|léxicas]] e menos para os contrastes [[gramática|gramaticais]].
 
{| class="wikitable"