João, o Orfanotrofo: diferenças entre revisões

Sem alteração do tamanho ,  09h49min de 2 de agosto de 2011
sem resumo de edição
( nova página: '''João, o Eunuco''' ({{lang-el|{{politônico|Ἰωάννης ὁ Ὀρφανοτρόφος}}}}, "guardião dos orfãos"), também conhecido como '''Orfanotropos''',...)
 
João continuou a controlar a administração e as indicações para cargos oficiais durante o reinado de seu irmão. Ele também fez de seu cunhado Estêvão um almirante e o colocou a cargo da frota que levaria [[Jorge Maniaces]] e seu exército para a [[Sicília]] em 1038. Conforme a [[epilepsia]] de Miguel piorava, o controle de João sobre a estrutura de poder aumentava.
 
Após as desastrosas deserções dos [[normandos]], [[Salerno|salernitanos]] e [[varangianos]] do exército de Maniaces, João o reconvocou e indicou [[Miguel Doukeianos]] [[catapanato da Itália|catepãocatapão da Itália]].
 
O eunuco convenceu a imperatriz a adotar o filho de Estêvão, [[Miguel V|Miguel]], como seu filho, assegurando assim a continuação da linhagem paflagôniana. Logo Miguel IV estaria morto e [[Miguel V Calafate]] o sucedeu. Porém, tão logo o seu controle sobre o trono imperial pareceu mais firme, ele foi exilado por seu sobrinho ingrato. Em 1043, ele foi cegado pelo [[patriarca de Constantinopla]] [[Miguel Cerulário]] e morreu após cair e ser pisoteado por um jumento.
198 342

edições