Diferenças entre edições de "Crônica de Muntaner"

85 bytes adicionados ,  14h05min de 22 de janeiro de 2012
m
Checkwiki + ajustes
m (Checkwiki + ajustes)
O objetivo fundamental da obra é glorificar os reis da [[Coroa de Aragão]]. O sangue, um destino comum e a língua (à qual chama ''el bell catalanesc'') são os elementos que integram a base da comunidade catalano-aragonesa. A consciência do perigo de divisão e do valor da união ficam também expressados na sua crônica, especialmente no exemplo da ''Mata de Jonc''. A crônica de Muntaner é também um valioso testemunho sobre as expedições dos [[almogávares]].
 
== Contraste entre a Crônica de Muntaner e a Crônica de Paquimeres ==
Em alguns aspectos, a Crônica de [[Ramon Muntaner (cronista)|Muntaner]], única fonte ocidental que relata os fatos vividos pela [[Companhia Catalã do Oriente]], não somente se trata de uma glorificação de [[Roger de Flor]] e da Companhia, mas também de uma contra-crônica da obra do grego bizantino [[Jorge Paquimeres]].
 
Muntaner começou a escrever a sua crônica em [[1325]], 17 anos depois de que Paquimeres escrevesse a sua obra "''De Michaele te Andronico Paloæologis''". A obra de Paquimeres oferece a visão grega dos fatos, e enfatiza as atrocidades cometidas pela Companhia e por [[Roger de Flor]] até [[1308]], enquanto Ramon Muntaner relata alguns fatos que o autor grego não menciona, e obvia outros fatos que o grego relata com pormenor. Assim, por exemplo:
 
* [[Massacre dos genoveses]]: Paquimeres afirma que a origem do massacre foi uma dívida que [[Roger de Flor]] não saldara com os genoveses, enquanto Muntaner não explicita a causa dos confrontos.
* [[Batalha de Germe]]: Muntaner não a comenta.
* Execuções sumárias de Germe: Paquimeres explica a barbárie de [[Roger de Flor]], ao querer executar os militares gregos que renderam a fortificação aos turcos, acusando-os de covardia. Muntaner omite-o.
* Execuções sumárias de Kula: Novamente, Paquimeres explica a barbárie de [[Roger de Flor]] ao querer executar os militares gregos que renderam a fortificação aos turcos, acusando-os de covardia. Muntaner omite-o.
* Contribuições de guerra em Filadélfia: Paquimeres explica que, após ter libertada a cidade de Filadélfia, [[Roger de Flor]] impôs na cidade o pagamento de umas contribuições de guerra ilegais e abusivas. Muntaner omite-o.
* Contribuições de guerra em Éfeso: Paquimeres explica que depois de [[Bernat de Roquefort]] se reunisse com [[Roger de Flor]] em [[Éfeso]], este teria cometido todo tipo de atrocidades para arrecadar mais contribuições de guerra. Muntaner omite-o.
{{Tradução/ref|es|Crónica de Muntaner|oldid=24531240}}
 
== {{Ver também}} ==
* [[Quatro grandes crónicas]]
* [[Llibre dels fets]]
* [[Crônica de Pedro o Ceremonioso]]
 
== {{Ligações externas}} ==
*[ {{Link||2=http://www.cervantesvirtual.com/servlet/SirveObras/46861641323253942754491/index.htm |3=Manuscrito da Crônica de Muntaner]}}
*[ {{Link||2=http://books.google.com/books?id=KwAZ55VsDFIC&printsec=titlepage&hl=es&source=gbs_summary_r&cad=0 |3=Edição bilingüe (1860) da Crônica de Muntaner (Google Books)]}}
 
{{Portal3|Literatura}}
 
{{DEFAULTSORT:Cronica Muntaner}}
[[Categoria:Livros do século XIV]]
[[Categoria:Literatura da Idade Média]]
718 366

edições