Diferenças entre edições de "Reformismo"

1 byte adicionado ,  12h12min de 25 de dezembro de 2012
+correções automáticas (v0.32/3.1.33)
(Marcado que carece de mais fontes (usando FastButtons))
(+correções automáticas (v0.32/3.1.33))
Na segundo metade do {{séc|XX|x}}, muitas críticas foram feitas à ideologia defendida pelos teóricos [[Teoria populacional neomalthusiana|neo-malthusianos]]. Com bases nessas críticas, teóricos de [[países subdesenvolvidos]] elaboraram a ''[[teoria reformista]]'' que afirma que os [[problema social|problemas sociais]] não são o resultado do [[crescimento populacional]], mas sim da falta de acesso da grande parte da população às riquezas produzidas.
 
== Teoria populacional reformista ==
 
Essa teoria, ao contrário da neomalthusiana, afirma que a superpopulação é consequência e não causa do subdesenvolvimento.<ref name="Brasil Escola"/>
 
Em países desenvolvidos, onde há melhor qualidade de vida, ocorre maior controle de natalidade. Em países subdesenvolvidos onde não há grandes investimentos em educação, as pessoas acabam não tendo consciência das determinações econômicas e não se preocupam em gerar menos filhos. Devido a isso, os reformistas propõem reformas nos investimentos,<ref name="Brasil Escola"/> para que haja equilíbrio da educação nesses países.
 
{{Referênciasreferências}}
 
{{Esboço-política}}
9 709

edições