Abrir menu principal

Alterações

12 bytes removidos ,  02h59min de 21 de junho de 2013
 
== Polêmica ==
Em 17 de setembro de 2008, o cientista [[Michael Reiss]], diretor de educação da ''Royal Society'', após críticas de outros [[cientista]]s e pressionado pela própria instituição, pediu demissão do cargo por ter se manifestado favorável à discussão nas escolas britânicas de todas as formas alternativas para a [[Cosmogonia|origem do universo]], inclusive o [[criacionismo]]. Segundo Reiss, que também é [[sacerdote]] da [[Igreja Anglicana]], embora a teoria criacionista não tenha qualquer base científica, o assunto deveria ser discutido, já que a sua exclusão faria com que muitas crianças, oriundas de famílias religiosas, se distanciassem cada vez mais da [[ciência]]. Ele disse isso uma semana antes durante um Festival da Ciência, em [[Liverpool]]. Em sua defesa, disse ter sido mal interpretado, mas foi levado a abandonar o cargo, gerando mais críticas, dessa vez também à atuação da ''Royal Society'', que, em comunicado oficial, declarou seu apoio ao pedido de demissão de Reiss.<ref>{{Citar web|url=http://oglobo.globo.com/ciencia/mat/2008/09/16/cientista_britanico_defende_debate_sobre_evolucao_nas_escolas_perde_emprego-548252268.asp|título=Cientista britânico defende debate sobre evolução nas escolas e perde emprego|autor=[[O Globo|O Globo Online]]|língua2=pt|acessodata=17 de setembro de 2008}}</ref>
 
==Cronologia (incompleta)==