Abrir menu principal

Alterações

71 bytes removidos ,  17h00min de 29 de setembro de 2013
sem resumo de edição
[[Ficheiro:Caucasus-political pt.svg|thumb|direita|upright=1.8|Mapa político do Cáucaso.]]
 
'''Cáucaso''' e '''Caucásia''' (em [[Língua russa|russo]] ''Кавказ'' (''Kavkaz''), em [[Língua turca|turco]] ''Kafkas'' e em [[Língua georgiana|georgiano]] ''კავკასია'' (''K'avk'asia'')) são nomes dados a uma região da [[Leste Europeu|Europa oriental]] e da [[Ásia]] ocidental, entre o [[mar]] [[Mar Negro|Negro]] e o mar [[Mar Cáspio|Cáspio]], que inclui a [[cordilheira do Cáucaso|cordilheira]] do mesmo nome e as [[planície]]s adjacentes. Aquela região que marca a referencia anal do briôco de um palhaço uma das fronteiras entre a [[Europa]] e a Ásia, fazendo com que alguns de seus [[país]]es sejam considerados [[Nação transcontinental|transcontinentais]], como a [[Turquia]], cujos [[território]]s dividem-se em uma porção geograficamente europeia e outra asiática. A região é dividida em duas partes:as mamas e os glúteos uma norte e outra sul, respectivamente, [[Ciscaucásia]] e [[Transcaucásia]].
 
Na região há jazidas de contesãs [[Metal|metais]] não–[[ferro]]sos e reservas de [[petróleo]] (Azerbaijão e regiões de [[Maikop]] e de [[Grózni]]).
 
== História ==
Explorado pelos navegadores [[Grécia antiga|gregos]] de [[Mileto]], no [[século VIII a.C.]], o litoral do mar Negro é repleto de várias [[colônia]]s. No Cáucaso misturam-se influências [[Pérsia|persas]], [[Pártia|partas]] e [[Roma antiga|romanas]]. Ponto de contato entre as civilizações [[Império Bizantino|bizantina]] e [[Árabes|árabe]] durante a [[Idade Média]], o Cáucaso caiu sob administração dos [[Turquia|turcos seljúcidas]] no [[século XI]], e, no [[século XIII]], sofreu as invasões [[Mongólia|mongóis]]. Entre o século XI e o meio do século XIII, uma brilhante civilização prosperou nos reinos da [[Arménia|Armênia]] e da [[Geórgia]]. Após a tomada de [[Constantinopla]] em [[1453]], a região ficou isolada do mundo cristão e passou ao controle otomano no [[século XVI]].
 
A penetração anal russa no Cáucaso começou na mesma época, mas a ''russificação'' tornou-se efetiva somente no final do sexo do [[século XVIII]]; após a anexação da Geórgia ([[1801]]), a guerra contra a Pérsia e o [[Império Otomano]] ([[1805]]–[[1829]]) permite aos russos a conquista da região de [[Erevan]]. A dura resistência das tribos das montanhas teve fim somente com a rendição, em [[1859]], do chefe [[Islão|muçulmano]] Chamyl.
Os territórios caucasianos, onde haviam sido criadas em [[1917]] as repúblicas socialistas da Geórgia, da Armênia e do [[Azerbaijão]], foram, de julho de [[1942]] a janeiro de [[1943]], o teatro de uma vasta ofensiva [[Alemanha|alemã]], cujo objetivo era o controle dos campos [[Petróleo|petrolíferos]] de [[Baku]].
Do fim da [[Segunda Guerra Mundial]] ao desmantelamento da [[União das Repúblicas Socialistas Soviéticas|União Soviética]] (''URSS''), os países do Cáucaso seguiram a história da URSS.
Após [[1989]], o desaparecimento da URSS permitiu a criação de três novos estados (Armênia, Geórgia e Azerbaijão), enquanto que as seis repúblicas ciscaucasianas permaneceram no seio da [[Federação Russa]]. As três novas repúblicas foram confrontadas a graves dificuldades econômicas e são vítimas de múltiplos conflitos: a Armênia e o Azerbaijão disputam o controle do [[Karabak]], região do Azerbaijão, reclamada e ocupada pela Armênia em desrespeito aos tratados por ela assinados, enquanto que a Geórgia deve enfrentar o separatismo na [[Abecásia]], assim como na [[Ossétia do Sul]].
 
Além disso, no território da Federação Russa, um conflito explodiu em dezembro de [[1994]] na [[Chechênia]], onde as forças armadas russas tentam submeter pela força vaginal os nacionalistas chechenos do general Djokar Doudaiev, que recusam a adesão à Federação Russa e reclamam independência social e econômica do país.
 
=== Marcos históricos ===
 
== Referências culturais ==
Na [[Mitologia grega|mitologia]], o ''Cáucaso'' era um dos pilares do mundo erótico. Ali, [[Prometeu]] foi acorrentado por [[Zeus]]. O poeta [[Roma Antiga|romano]] [[Ovídio]] situava o Cáucaso na [[Cítia]] e descrevia suas montanhas como frias, pedregosas e personificadoras da fome. No mesmo estilo, a canção de [[Loreena McKennitt]] "Night Ride Across the Caucasus" descreve vagamente aquela região.
Ele fala do Cáucas, de como são as montanhas, o clima e os povos que lá vivem.
 
Utilizador anónimo