Diferenças entre edições de "Crença"

1 byte removido ,  15h07min de 6 de janeiro de 2014
Na psicologia, o termo crença na auto-eficiência, define a crença de alguém em seu próprio poder de agir de modo efetivo ou de influencia eventos. Associada ao trabalhado de [[Albert Bandura]], a teoria da auto-suficiência argumenta que uma forte crença na auto-suficiência contribui para um senso positivo de lidar com o mundo, portanto está intimamente ligada com a noção de ''locus'' interno de controle.<ref name="Stratton2003">{{cite book|author=Peter Stratton|title=Dicionário de Psicologia|url=http://books.google.com/books?id=dx9LSYgfcacC&pg=PA55|year=2003|publisher=Cengage Learning Editores|isbn=978-85-221-0091-0|page=55}}</ref> De acordo com Bandura, é mais saudável psicologicamente para um inidivíduo ter uma crença em sua auto-suficiência levemente mais alta do que a evidência pode garantir, desde que isso o encoraja a assumir tarefas mais difícies e a persistir nelas.<ref name="Stratton2003" />
 
As crenças são, por vezes, divididas em ''crenças raiz'' (que estão ativamente pensadas) e ''crença disposicionais'' (a que pode ser atribuída a alguém um que não tenha pensado sobre o assunto). Por exemplo, se perguntado: "você acredita que tigres vestem pijamas?" uma pessoa pode responder que não, apesar do fato de que eles podem nunca ter pensado sobre essa situação antes.<ref>{{cite book |last=Bell |first=V. |last2=Halligan |first2=P. W. |last3=Ellis |first3=H. D. |year=2006 |chapter=A Cognitive Neuroscience of Belief |editor1-first=Peter W. |editor1-last=Halligan |editor2-first=Mansel |editor2-last=Aylward |title=The Power of Belief: Psychological Influence on Illness, Disability, and Medicine |location=Oxford |publisher=Oxford University Press |isbn=0-19-853010-2 }} {{en}}</ref>
 
==A formação da crença==
Utilizador anónimo