Diferenças entre edições de "Júlio de Castilhos"

2 bytes removidos ,  19h19min de 1 de fevereiro de 2014
Em 1891 elegeu-se deputado para a Assembleia Constituinte, quando destacou-se por se opôr a [[Rui Barbosa]] no capítulo que versava sobre a discriminação de rendas, defendendo os pequenos estados da federação. Neste mesmo ano, redigiu praticamente sozinho a Constituição do Estado do Rio Grande do Sul, usando depois todos os meios possíveis para obter sua aprovação.
 
Em 15 de julho de 1891, Júlio de Castilhos foi eleito presidente do estado do [[Rio Grande do Sul]] e foi deposto em 3 de novembro do mesmo ano quandoem ocorredecorrência odo [[Golpe de Três de Novembro]]<ref>[http://www.gazetadopovo.com.br/cadernog/conteudo.phtml?tl=1&id=1443933&tit=Os-120-anos-do-Cerco-da-Lapa-e-o-preco-da-consolidacao-da-Republica - Os 120 anos do Cerco da Lapa e o preço da consolidação da República Floriano Peixoto implantou uma ditadura militar no início da República e com isso gerou uma série de rebeliões. O Cerco da Lapa faz parte desse cenário de luta pelo poder e de debilidade política] Jornal Paranaense - [[Gazeta do Povo]]</ref>. Pouco mais de um ano depois, Júlio de Castilhos disputa nova eleição (sem concorrentes), obtendo 26.377 votos, e volta a ocupar o antigo posto. Sua posse ocorreu em 25 de janeiro de 1893.<ref name="UOL - Educação"/> Neste mesmo ano, contém a [[Revolução Federalista]], de tendência [[Parlamentarismo|parlamentarista]] e liderada por [[Gaspar Silveira Martins]].
 
Júlio de Castilhos morreu prematuramente em 1903, vítima de [[câncer]] na garganta. A última casa em que viveu foi adquirida pelo governo do Estado em 1905 e ainda neste ano ali instalou o [[Museu Júlio de Castilhos]], no centro de Porto Alegre. O político foi também homenageado na capital gaúcha com a construção de um grande monumento na [[Praça da Matriz]].<ref name="UOL - Educação"/>
78

edições